domingo, 13 de maio de 2012

Os primeiros passos da construção de um sonho: o Projeto Grael

Um registro histórico do início do Projeto Grael

Projeto Grael. Foto de Mariza Formagginni.

CONSTRUINDO UMA IDEIA: É sempre difícil precisar o ponto de partida de uma ideia. Mais fácil é, no entanto, verificar as ações que colocaram essa ideia em marcha, tornando-a realidade. No caso do Projeto Grael, a ação precursora deve ser atribuída ao coronel Dickson Melges Grael, ativo incentivador dos esportes, com formação em educação física e pai de Axel, Torben e Lars Grael.

Em 1988, as duas tripulações formadas por Torben Grael (classe Star) e Lars Grael (classe Tornado) e seus respectivos proeiros Nelson Falcão e Clínio de Freitas, retornaram dos Jogos Olímpicos de Seul cada uma com uma medalha de bronze. Para recepcioná-los, Dickson Grael reuniu alguns colaboradores, dentre eles o seu filho Axel Grael e o empresário João Macedo e lançou-se na ideia de tirar a vela dos limites dos muros dos iate clubes e levá-la para um espaço público. Pretendia que o esporte, que já se delineava como o de maior sucesso olímpico no país, fosse mais conhecido e que fosse praticado por um contingente maior do público, superando a sua imagem elitista.

Dickson Grael levou, então, a ideia de promover uma grande exposição de barcos aos dirigentes do Plaza Shopping, o maior da cidade de Niterói, que prontamente concordou em abrigá-la. Um barco de cada classe olímpica na época foi cedido para o evento, que também contou com um Laser (ainda não era uma classe olímpica) e um Optimist, por serem as classes mais praticadas na ocasião. Os barcos foram completamente armados dentro da praça principal do shopping, sendo que um Star foi pendurado majestosamente no teto do referido espaço. A exposição, de grande impacto visual, atraiu muitos visitantes e alcançou grande repercussão, cumprindo a sua função de promover a vela e levá-la aos olhos do público em geral. Essa foi a última missão do Cel. Dickson Grael: plantar a semente do que seria depois o Projeto Grael. No dia em que a exposição foi desmontada, seu idealizador foi hospitalizado, vindo a falecer poucas semanas depois, vítima de grave doença.

DA IDEIA À PRÁTICA: O sonho de deselitizar a vela prosperou e começou a gerar frutos oito anos depois, ou melhor, duas Olimpíadas depois. Em julho de 1996, às vésperas dos Jogos Olímpicos de Atlanta, um grupo de velejadores liderados por Torben e Lars Grael, além de Marcelo Ferreira, levou a ideia de uma escola de vela para estudantes da rede pública para o então prefeito de Niterói, João Sampaio e a seu aliado político Jorge Roberto Silveira, então candidato à Prefeitura. Os velejadores foram recebidos em um almoço, quando a ideia foi apresentada.

Os velejadores voltaram de Atlanta em grande triunfo. Essa havia sido a melhor campanha olímpica da equipe brasileira de vela (duas medalhas de ouro, com Torben Grael e Marcelo Ferreira na classe Star e Robert Scheidt na classe Laser; Lars Grael conquistou a medalha de bronze na classe Tornado, com Kiko Pellicano como proeiro) contribuindo para a melhor participação do país na história olímpica até então.

Na chegada ao Brasil, Torben Grael deu uma entrevista ao Jornal do Brasil, que a publicou no dia seguinte, com evidente surpresa com o caráter engajado das suas declarações, pregando contra a pobreza e defendendo a popularização do esporte como uma das formas de equacionar os problemas sociais do Brasil:



Lars Grael repetiu a atitude do irmão e aproveitou a celebração e a grande visibilidade que conquistaram com o feito olímpico e passou a mensagem.

Na concorrida recepção realizada no Rio Yacht Club, Lars e Torben foram festejados por amigos, velejadores e pelo público em geral e, na ocasião, foram homenageados pelo então prefeito João Sampaio e seu sucessor Jorge Roberto Silveira. Na ocasião, Torben e Lars reiteraram a solicitação de apoio à criação do projeto de vela que beneficiasse estudantes da rede pública. O dirigente municipal, que já era simpático à ideia, comprometeu-se publicamente.

SURGE O PROJETO GRAEL E O CONCEITO SE EXPANDE: Somente em 1998, cerca de dois anos depois de ser publicamente anunciado, foram superados os angustiantes obstáculos burocráticos e, finalmente, foram adquiridos pela Prefeitura de Niterói os primeiros equipamentos e contratados os primeiros membros da equipe da tão esperada escola pública de vela. O sonho pioneiro de deselitizar e tornar a vela um instrumento de educação começava naquele momento a sair do papel.

Desde a sua criação, devido ao pioneirismo da ideia, o Projeto Grael precisou dedicar-se a construir o seu programa pedagógico e sua metodologia. O conceito consolidou-se e implementou-se gradativamente até atingir a sua atual dimensão, abrangendo a iniciação esportiva, a formação profissionalizante, a educação complementar (meio ambiente, ciências, etc) e a cultura da maritimidade.

A partir de 1999, o velejador Lars Grael tornou-se Secretário Nacional de Esportes, no Governo Federal, e levou a tecnologia social desenvolvida pelo Projeto Grael para o então Ministério do Esporte e Turismo, iniciando o Projeto Navegar, implantado em mais de 30 localidades do país. A partir de 2003, Lars Grael passou a ocupar a Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer do Governo do Estado de São Paulo e lá implantou o Projeto Navega São Paulo, também inspirado no Projeto Grael. Assim, o número de unidades de náutica social existentes em todo o país, criados sob inspiração do Projeto Grael, chegando a quase 50 unidades.

Hoje, além de sua sede em Niterói, o Projeto Grael está instalado em Três Marias (MG), onde a iniciativa que é patrocinada pela CEMIG é conhecida como VERSOL. Outras novas unidades estão sendo planejadas para Salvador, Baixo Sul da Bahia, Goiás e Paraná.
 
Axel Grael

2 comentários:

  1. São iniciativas assim que mantém os sonhos dos pequenos brasileiros!!! Parabéns Equipe do Projeto Grael!

    ResponderExcluir
  2. Fazer parte dessa equipe que divulga o esporte da vela como instrumento de Cidadania é uma honra para mim que tenho certeza que estamos construindo novas referências de relacionamento para as próximas gerações.

    Parabés a família Grael por essa bela iniciativa...

    Odenilson Argolo
    Assessor de Desenvolvimento Social
    Projeto Grael

    ResponderExcluir

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.