quinta-feira, 16 de maio de 2013

Caminho Niemeyer: um valioso patrimônio público de Niterói, enfim, abre-se ao público

Opinião:

O Caminho Niemeyer é um dos mais valiosos legados do genial arquiteto Oscar Niemeyer, a marca da cidade de Niterói de maior reconhecimento internacional e um dos mais importantes ativos culturais e turísticos para impulsionar o futuro da cidade.

No entanto, verificava-se na população niteroiense um sentimento de frustração e ceticismo com relação ao Caminho, considerado por muitos como um "elefante branco", dissociado do cotidiano das pessoas. Esta percepção vinha da constatação que um investimento superior a R$ 100 milhões, mesmo uma década após a sua inauguração, nunca haviam se tornado operacionais.

Ao assumirmos o governo de Niterói, em janeiro de 2013, encontramos apenas dois equipamentos projetados por Niemeyer em funcionamento: o MAC - Museu de Arte Contemporânea e a Estação Hidroviária de Charitas. Todo o complexo do Caminho Niemeyer, no Centro de Niterói, estava fechado, sem qualquer planejamento de uso e até a visitação de turistas e da própria população era impossível, uma vez que a área era isolada por um tosco portão trancado a cadeado.


"... o Caminho Niemeyer era um hardware sem software. Belos prédios sem gestão e sem planejamento de uso".

Como tenho dito, o Caminho Niemeyer era um hardware sem software. Belos prédios sem gestão e sem planejamento de uso. O genial arquiteto fez a sua parte - nos legar um fantástico conjunto arquitetônico, e a Prefeitura não havia feito a sua parte - oferecer serviços culturais, educativos e turísticos para o uso adequado daqueles espaços.

Em abril, o prefeito Rodrigo Neves inaugurou o Centro de Apoio ao Turista e o portal de entrada ao Caminho Niemeyer, permitindo que o local seja oferecido diariamente aos turistas, com os meios necessários para isso.

Agora, com a inauguração do Centro de Memória da História e da Literatura Fluminense (vide abaixo), começamos a dar destino e a dotar de "software" os equipamentos do Caminho Niemeyer.

O Centro de Memória da História e Literatura Fluminense será gerido pela Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia e oferecerá mostras, eventos culturais e acervos digitais da literatura fluminense.

Com a implementação das atividades no Caminho Niemeyer, este assumirá finalmente a sua vocação de tornar-se uma referência turística e cultural da Niterói, além de ser uma bela interface entre a cidade e a Baía de Guanabara. Juntamente com todo o projeto de revitalização do Centro de Niterói, o Caminho Niemeyer dialogará com o Museu do Amanhã, do arquiteto Calatrava, a grande marca dos esforços de revitalização da Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Estamos certos que o Caminho Niemeyer será uma das grandes atrações turísticas e culturais durante os grandes eventos esportivos que se aproximam, ajudando para que Niterói participe como protagonista no ciclo virtuoso de desenvolvimento que o Rio de Janeiro usufrui.

Axel Grael


Veja mais sobre o Caminho Niemeyer no blog:

------------------------------------------
 
Prefeitura de Niterói inaugura Centro de Memória da História e da Literatura Fluminense



O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, e o vice-prefeito, Axel Grael, participaram, na noite desta quarta-feira (15.5), da inauguração do Centro de Memória da História e da Literatura Fluminense, localizado nas dependências do Memorial Roberto Silveira, no Caminho Niemeyer, no centro da cidade. O novo espaço marca mais um passo para ocupação dos monumentos do conjunto arquitetônico com atividades de cultura e lazer para niteroienses e turistas, integrando o Caminho definitivamente à cidade.

O Centro de Memória abriga a primeira biblioteca virtual da cidade dedicada exclusivamente a autores fluminenses. O espaço dispõe de 15 computadores para consulta, com 680 títulos de domínio público e também disponibilizados por editoras de Niterói que publicam textos da literatura fluminense. No local foi inaugurado o auditório Luís Antônio Pimentel, uma homenagem ao jornalista e escritor niteroiense, no qual serão realizados encontros, palestras e seminários ligados à literatura e à poesia.

Na cerimônia de inauguração, que contou com apresentação de jovens músicos do Projeto Aprendiz, performance do grupo literário Uma Noite na Taverna, exibição de vídeo com depoimentos de personalidades da cidade e lançamento do livro do escritor Luiz Antônio Barros, o prefeito Rodrigo Neves destacou a integração positiva entre o Caminho Niemeyer e a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, gestora do Centro de Memória, no sentido de formular uma proposta de democratização da cultura e da inclusão pela leitura.



“O Centro de Memória reúne o rico acervo da literatura fluminense, formada por vários escritores que agora têm oportunidade de divulgar e resgatar tudo o que foi produzido no Estado do Rio. Realmente é um dia muito especial. Estamos dando nova vida ao projeto do Caminho Niemeyer e é isso o que a população de Niterói espera. O primeiro passo foi a inauguração Centro de Atendimento ao Turista e a conclusão do projeto da nova entrada do Caminho. No início do segundo semestre vamos viabilizar a retomada do Teatro Popular e promover grandes eventos culturais na Praça do Povo, devolvendo a praça à população”, afirmou o prefeito.

O secretário municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, Waldeck Carneiro, ressaltou a importância de Niterói, que foi capital do antigo Estado do Rio de Janeiro por cerca de 130 anos, na produção histórica, literária e política do Brasil. “É importante que a gente tenha um espaço para preservar, para organizar e para restituir essa memória. O Centro de Memória também será referência para eventos literários, como lançamentos de livros, oficinas, cursos e colóquios. A memória fluminense passa a ter um lugar para ser resgatada e valorizada como parte da cultura do Estado do Rio e do Brasil”, disse o secretário.

Já o presidente do Grupo Executivo do Caminho Niemeyer, Marcos Gomes, salientou que a inauguração do Centro de Memória é mais uma etapa para “dar vida ao Caminho Niemeyer”, e é um momento significativo.
 


“Este prédio foi um dos primeiros a serem inaugurados no Caminho Niemeyer, há muitos anos. Neste novo governo, ele vai funcionar efetivamente como o Centro de Memória da História e da Literatura Fluminense. Este espaço servirá para as universidades, para estudantes, para toda a cidade. Um conjunto de ações estão sendo tomadas para dar vida ao Caminho e este Centro de Memória integra essas iniciativas”, destacou Gomes.

Cerca de 200 pessoas participaram da cerimônia de inauguração, entre elas os ex-prefeitos Godofredo Pinto e Waldenir Bragança; a reitora da Universo, Marlene Salgado de Oliveira; o presidente da Fundação Municipal de Educação, José Henrique Antunes; o arquiteto Paulo Niemeyer, neto de Oscar Niemeyer; o presidente da Imprensa Oficial do Estado do Rio, Haroldo Zager; a presidente da Academia Niteroiense de Letras, Márcia Pessanha; o jornalista e escritor Luís Antônio Pimentel; e o pró-reitor de Extensão da UFF, Wainer da Silveira e Silva.



 

Um comentário:

  1. Realmente tem de ser dar uma função,pois o caminho Niemeyer foi projetado e construído para a população niteroiense possam usufruir de eventos culturais,acredito eu, mas atualmente Niterói nesse aspecto encontra-se órfão,dando uma impressão que vivemos no meio do deserto ou no interior de alguma cidade perdida por ae. Espero que realmente que culturalmente tenhamos retorno. Em fala nisso nem pra me convidar né senhor Axel,mas o meu chefe tava rsrsrsrsrs...

    ResponderExcluir

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.