segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Contrato garante mais água para Niterói ainda neste verão


Na seca. Célia mostra a caixa d’água vazia. Guilherme Leporace

Volume de água vendido pela Cedae a Águas de Niterói vai aumentar

Renato Onofre

NITERÓI - Niterói começará a receber mais água ainda neste verão. Depois de uma longa negociação, que se arrastou por quase uma década, a Cedae e a Águas de Niterói assinaram contrato para aumentar o fornecimento de água na cidade. Até novembro, o volume vendido pela estatal à concessionária passará dos atuais 1.800 litros por segundo para 2.100 litros por segundo. Mas a previsão, já para este mês, de um acréscimo de 200 litros por segundo na vazão promete dar fim aos frequentes problemas de desabastecimento que assolam niteroienses nesta época do ano.

Todos os dias, a assistente social Célia Ribeiro pede aos céus - e à Águas de Niterói - para que, ao acordar, a caixa d’água esteja cheia. Em vão. Desde a virada de ano, ela e suas vizinhas Tetê Bedran e Leila Barbosa, moradoras da Rua Oscar Pereira, em Charitas, estão na seca.

- É um sofrimento sem fim. Nem adianta reclamar. Todo verão o roteiro já está escrito: sol, calor e falta d’água. Não é a primeira vez e temo que não seja a última que teremos que passar por isso - reclama a assistente social, que, assim como a vizinha, usa água mineral para cozinhar e arrumar a cozinha.

A história se repete em todos os bairros. Do Morro do Castro, na Zona Norte - onde Rosemere Pacheco sofre para lavar as roupas dos clientes -, à casa de Rubiraci Batista, em Piratininga, na Região Oceânica, onde 2014 começou com torneiras vazias. O superintendente de Águas de Niterói, Nelson Gomes, admite que há problemas em algumas regiões da cidade, mas explica que, com o aumento da vazão e os investimentos feitos ao longo do ano passado, o panorama vai mudar:

- Trabalhamos nos últimos anos no limite. Agora, com o acordo assinado com a Cedae, poderemos melhorar, e muito, a distribuição. E com as mudanças que fizemos na rede, vamos aumentar a pressão e o volume de água nos fins de rede, que são os mais afetados quando cresce o consumo.

A concessionária investiu R$ 15 milhões na construção de três reservatórios em Pendotiba: dois serão inaugurados no dia 30, com a nova adutora para São Francisco e região. Juntos, eles terão capacidade para três milhões de litros d’água. Com isso, a cidade passará a ter 55 reservatórios, totalizando um armazenamento de mais de 70 milhões de litros d’água. Esse volume será utilizado para equilibrar a vazão em regiões em que água chega com baixa pressão e, consequentemente, sofrem com o desabastecimento.

A adutora em São Francisco também trará uma mudança no sistema de distribuição de água na cidade. Antes, o bairro, assim como Charitas e Jurujuba, era abastecido pela chamada Linha 4, que atendia também a região central, Icaraí e Santa Rosa. Com a inauguração do novo ramal, os três bairros passarão a ser atendidos pela Linha 5, que também abastece a Região Oceânica e Pendotiba.
- Haverá mais pressão para São Francisco, Charitas e Jurujuba. E, consequentemente, para Santa Rosa e Icaraí, já que vamos aliviar a Linha 5 - explica Nelson Gomes.

Apesar dos investimentos, os bairros atendidos pela Linha 3 (Morro do Castro, Tenente Jardim, Engenhoca e Fonseca até o Horto) ainda vão enfrentar problemas pelo menos até o próximo verão. A Águas de Niterói já pediu autorização à prefeitura para a construção de uma nova adutora para melhorar a vazão da região. As obras começam nos próximos meses.

Segundo o presidente da Cedae, Wagner Victer, o pleito de Niterói é antigo, mas só pôde ser contemplado depois dos recentes investimentos no sistema Imuana-Laranjal, que aumentaram a capacidade de produção de água de 4.600 litros por segundo para 6.400 litros por segundo, devendo chegar, ainda este ano, a sete mil litros por segundo.

- Fizemos o maior investimento na região dos últimos 40 anos. Era necessário fornecer mais água para Niterói, mas sem prejudicar São Gonçalo e cidades vizinhas. Estamos recuperando décadas em obras de infraestrutura na região - afirmou Victer.

A Águas de Niterói informou que vai acompanhar o abastecimento nas casas da Rua Oscar Pereira e no Morro do Castro e, se necessário, utilizará carros-pipa até a normalização do serviço. Em Piratininga, garantiu que o fornecimento de água foi normalizado. Ainda segundo a concessionária, as obras que serão inauguradas no dia 30 terão impacto direto nas áreas mostradas na reportagem.

Fonte: O Globo Niterói



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.