quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Inea registra aumento de 56% em investimentos na área ambiental


Sede da Estação Ecológica Estadual de Guaxindiba (Mata do Carvão), em São Francisco de Itabapoana.


Enquanto em 2009, o aporte financeiro chegava aos R$ 289 milhões, no ano passado o número foi de R$ 450 milhões

Com a missão de proteger, conservar e recuperar o meio ambiente do Rio de Janeiro para promover o desenvolvimento sustentável, o Inea (Instituto Estadual do Ambiente) completou cinco anos de atuação. Neste período, houve um aumento de investimento de 56%. Enquanto em 2009, o aporte financeiro chegava aos R$ 289 milhões, em 2013 este número bateu o patamar dos R$ 450 milhões.

Em cinco anos, o Estado do Rio transformou 10% do seu território em área ambiental. São 4.390.900 hectares protegidos.

– Temos que celebrar estes cinco anos do Inea, porque o time do ambiente soube fazer gestão e produzir com qualidade. Fomos muito ousados ao criar este instituto e não paramos por aí – disse o governador Sérgio Cabral.

Já o secretário do Ambiente, Carlos Minc, acredita que, apesar dos avanços, o estado precisa evoluir ainda mais para se tornar totalmente sustentável.

– O Rio era o estado que mais desmatava a Mata Atlântica e agora é o que menos desmata. Éramos o estado que mais colocava lixo em lixões, perto de 90%, e hoje somos o que menos coloca. O Rio de Janeiro era o estado que mais atrasava a entrega de licenças ambientais e agora somos o que mais dá as licenças de forma mais rápida e rigorosa. Estamos progredindo – explicou Minc.

A rapidez na emissão das licenças, para a presidente do Inea, Marilene Ramos, é um dos pontos fortes dos primeiros cinco anos do instituto. Neste período, 13.332 licenças foram emitidas. Em 2009, eram 1.552 dadas por ano e, em 2013, este número chegou a 2.957.

– Acabar com o passivo de demanda por licenças ambientais foi muito importante. Agora, os empreendedores vão contribuir muito com compensações ambientais relevantes para equilibrar o desenvolvimento com o meio ambiente – afirmou a presidente.

O Inea trabalhou também na prevenção de desastres ambientais. Apenas na Região Serrana do estado foi investido R$ 1 bilhão para o controle das inundações. Quase R$ 175 milhões foram destinados aos reassentamento de 7.971 famílias que moram em áreas de risco até 2015. Além disto, foram criadas 81 estações de alerta de cheias e dois radares meteorológicos foram comprados.

Fonte: Portal do RJ

--------------------------------------------

Saiba mais sobre parques do RJ:
SEA prevê cinco milhões de visitantes nos parques estaduais em 2016



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.