quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Velejadores de Niterói começam bem na Copa Brasil


Mesmo encarando um mar ‘mexido’, Martine Grael e Kahena Kunze, da classe 49erFX, iniciaram o primeira dia da competição conseguindo dois terceiros lugares e um segundo. Foto: André Redlich

As niteroienses Renata Decnop e Isabel Swan começaram vencendo a primeira regata da classe 470 feminina. Foto: André Redlich

Ricardo Winick, na RS:X, também venceu. Foto: André Redlich

Marcel Tardin

As niteroienses Isabel Swan e Renata Decnop venceram suas regatas pela Copa Brasil de Vela. Outros velejadores da cidade também apresentaram bons resultados neste início

O sol forte e o calor de ontem não foram desculpa para interromper o primeiro dia de disputa da Copa Brasil de Vela, que vem acontecendo na Baía de Guanabara - raia oficial dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. E as primeiras regatas foram boas para os atletas de Niterói, que vencendo ou não, conseguiram resultados positivos. Isabel Swan e Renata Decnop, na classe 470 feminina, começaram o torneio com o pé direito. Já Clínio Freitas e Cacau Swan, na Nacra 17, e Martine Grael e Kahena Kunze também se destacaram.

O período da manhã foi reservado para os atletas das dez classes incluídas no cronograma olímpico (Laser Radial e Standard, 470 masculino e feminino, RS:X masculino e feminino, 49er, 49er FX, Finn e Nacra 17) fazerem os últimos ajustes antes de lançarem suas embarcações ao mar, por volta das 13 horas. Após um atraso antes do início das regatas - devido à falta de vento e pela passagem de um navio cargueiro nos arredores da raia olímpica - os velejadores deram início à primeira bateria de provas da Copa Brasil.

Juntas durante toda a temporada de 2013, Isabel Swan e Renata Decnop confirmaram o favoritismo na classe 470. Disputando ao lado dos homens, as meninas de Niterói conseguiram boas manobras em um mar mexido e fecharam a bateria do primeiro dia em primeiro lugar.

“Por enquanto acho que estamos conseguindo cumprir o nosso objetivo que é treinar pra valer, além do mais, ao lado dos homens e sabemos que isso puxa o nível para cima. Então queremos usar esse campeonato como um grande simulado”, afirmou Renata, prosseguindo. “O mar estava um pouco mexido, com as ondas um pouco mais altas, mas a gente já estava acostumada com essa condição e foi só botar em prática o que já treinamos”, completou.

Isabel também destacou o resultado do treino de luxo na raia olímpica. “É sempre bom estar na raia do Rio, que é uma raia bem específica, e competir em um torneio como esse é ótimo porque eleva nosso nível e acabamos desenvolvendo um treino melhor”, disse a medalhista de bronze em Pequim-2008.

Martine Grael e Kahena Kunze, que em três regatas conseguiram dois terceiros lugares e um segundo, sendo superadas pelas velejadoras da Inglaterra, na classe 49er FX.

“Pra gente foi difícil, porque a raia em que estávamos tinha alguns navios e também acho que entramos um pouco desconcentradas. Mas não estamos tristes com o resultado, as inglesas velejaram melhor e hoje foi apenas o primeiro dia. Mas estamos só esquentando, espero que nos próximos dias possamos velejar melhor e superá-las”, explicou Kahena, de 22 anos.

Já na classe Nacra 17, recém-adicionada no cronograma olímpico, trouxe bons ventos para a dupla niteroiense Clínio Freitas e Cacau Swan, que na bateria de três regatas conseguiram a segunda colocação em todas.

Outros destaques ficaram por conta de Ricardo “Bimba” Winick e Patrícia Freitas, que venceram suas regatas na classe RS:X.

Hoje, a partir das 13 horas, tem sequência a competição na Baía de Guanabara, com a segunda bateria de regatas das dez classes olímpicas incluídas no Rio-2016.

As niteroienses Renata Decnop e Isabel Swan começaram vencendo a primeira regata da classe 470 feminina. Ricardo Winick, na RS:X, também venceu.

Fonte: O Fluminense


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.