quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Novos equipamentos ampliam o monitoramento de chuvas no Estado do RJ


Rio será a primeira unidade da federação a ter todas as bacias hidrográficas cobertas pelo monitoramento. Foto: Divulgação


Dois radares, que serão operados pelo Inea, vão antecipar em pelo menos seis horas as previsões de tempestades no Rio de Janeiro. Investimento foi de R$ 13 milhões

Dois radares meteorológicos de última geração serão instalados no Rio de Janeiro para ampliar a cobertura do Alerta de Cheias que alcançará todo o estado. O primeiro, instalado na capital, em Guaratiba, estará em funcionamento já em agosto enquanto o segundo entrará em funcionamento em setembro, no município de Macaé. O equipamento, que foi adquirido e será operado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), vai antecipar em pelo menos seis horas as previsões de tempestades.

“Os radares são um avanço porque mudam a forma de gestão. A tecnologia nos traz avanço na precisão e na antecedência de desastres naturais e fortalece o sistema de alerta de chuvas. Vamos ter mais segurança”, explicou Isaura Frega, presidente do Inea.

O avanço tecnológico e grande precisão servirão para previsões de tempestades e minimizar os efeitos de eventos climáticos extremos. O Sistema de Alerta de Cheias do Inea será fortalecido, fazendo com que as entidades de resposta aos riscos e desastres estaduais possam agir com maior eficiência.

O equipamento foi comprado há cerca de dois anos, devido à complexidade de sua instalação, por conta de suas configurações específicas, e estará apto a operar nos próximos meses. O sistema é composto pelos dois equipamentos e tem capacidade para detecção de chuvas, com precisão volumétrica de até 240 quilômetros para medições quantitativas e até 450 quilômetros para medições qualitativas.

A escolha dos locais para localização dos radares levou em consideração critérios técnicos, como em Macaé, no campus da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), e a Fazenda Modelo, em Guaratiba.

O Rio de Janeiro será a primeira unidade da federação a ter todas as bacias hidrográficas que cruzam o seu território cobertas pelo monitoramento.

O equipamento também permitirá a formação de um Centro Técnico Especializado em prevenção de chuvas, a exemplo dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Ceará.

Professora do Laboratório de Meteorologia da Uenf, Maria Gertrudes Justi destaca que os radares trazem importante avanço no sistema de alerta de chuvas e vão beneficiar principalmente a população.

“Os radares são uma poderosa ferramenta de análise da estrutura da tempestade e, assim, é possível prever com mais precisão e de maneira mais rápida a possível ocorrência de tempestades e outros desastres naturais. Com essas informações, órgãos como a Defesa Civil poderão trazer mais segurança à população, alertando as pessoas sobre esses eventos com mais antecedência”, explica.

Os equipamentos foram originalmente orçados em R$ 17 milhões. A concorrência internacional reduziu o valor do contrato, os radares foram adquiridos por R$ 13,422 milhões (U$ 6,615 milhões).

Os novos radares vão se comunicar com outros nove, pertencentes ao governo federal, e formarão uma rede de prevenção meteorológica.

Fonte: O Fluminense


------------------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:

QUATRO ANOS DO BUMBA: Prefeitura faz balanço de ações de prevenção, de assistência e de infraestrutura contra as chuvas

Defesa Civil de Niterói
 
Obras de contenção de encostas em Niterói:
Prefeitura conclui contenção no Morro do Holofote
 
Melhoria na infraestrutura urbana de comunidades



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.