quarta-feira, 8 de abril de 2015

Bumba: mais 5 mil moradias em conjuntos habitacionais


Raquel Rodrigues, Maria Célia Vasconcelos, Axel Grael, Major Wallace Medeiros e Paulo César Carreira no evento. Foto: Evelen Gouvêa

Milena Bouças

Meta da Prefeitura de Niterói é entregar 1,4 mil casas para pessoas em áreas de risco. Anúncio foi feito no seminário Cidade Resiliente - cinco anos do Bumba

Até o final desse ano, a Prefeitura de Niterói quer entregar 1,4 mil moradias em conjuntos habitacionais. Até o final da atual gestão, a meta é contratar 5 mil casas para as vítimas da tragédia do Morro do Bumba, em 2010. A informação é do vice-prefeito Axel Grael, que fez o anúncio durante o seminário Cidade Resiliente - cinco anos do Bumba, realizado ontem na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), no Centro de Niterói.

“A cidade estava despreparada quando houve o deslizamento do Bumba. Desde o início dessa gestão, nós investimos em tecnologia e passamos a implantar uma rede de pluviômetros e sirenes. O cenário atual é muito diferente, captamos recursos de obra para contenção e temos equipamentos modernos para fazer a comunicação em momentos de crise”, analisa Axel.

Cinco anos depois do deslizamento que deixou dezenas de mortos, Axel garantiu que a cidade está trabalhando com ações preventivas. Ele adiantou ainda que, nos próximos dias, o prefeito Rodrigo Neves vai assinar uma carta de riscos das encostas.

“Nós vamos fazer uma base cartográfica. Será uma atualização e mapeamento detalhado em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que possa dizer quais famílias estão em área de risco. Será com certeza mais um avanço para a cidade”, diz.

Para o subsecretário da Defesa Civil do município, major Walace Medeiros, a equipe da Defesa Civil conta hoje com um sistema preventivo.

“Estamos trabalhando firmemente para que cenas como as que vivemos em 2010 não se repitam. A estrutura da Defesa Civil do município se aprimorou e serviu-se de novas tecnologias com um efetivo novo de pessoas e uma frota de viaturas capaz de atender à população. O sistema trabalha antecipando a ocorrência de desastres de forma a salvar vidas”, explica Medeiros.

Reservatório – Sobre a possibilidade da construção de um reservatório de água para emergências, Axel disse que o projeto não é inviável para a cidade.

“É algo a se pensar. Estamos estudando tal possibilidade, mas esses equipamentos são muito caros. Além disso, o problema do reservatório é que ele costuma dar muitos vetores. Junto com a água vêm detritos e sedimentos. Como você faz depois para retirar tudo isso que se deposita nesses reservatórios? Temos outras formas melhores, ambientalmente seguras, de se fazer isso”, afirma.

Região Oceânica – Axel pontuou ainda que, apesar da Região Oceânica ser a maior região de alagamento na cidade, ela não é maior em termos de população ameaçada em áreas de risco.

“Temos alguns pontos críticos na cidade, como o Cafubá. Em Icaraí, por exemplo, são alagamentos menores, mas que causam um transtorno muito grande na cidade. E a solução é mais difícil, pois a área está totalmente ocupada”, fala.

Projetos – Durante o seminário, representantes da Emusa explicaram as obras já realizadas na cidade, como gestão de encostas, os projetos Niterói Mais Verde e Moradia Segura, além de obras de macrodrenagem, microdrenagem e manutenção de rios e canais.

Fonte: O Fluminense

--------------------------------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:

Seminário Cidade Resiliente: Niterói vai atualizar mapeamento de áreas de risco

PROGRAMA NITERÓI MAIS VERDENITERÓI MAIS VERDE - PARNIT ganhou reconhecimento e destaque em revista especializada dos EUA 
Niterói + Verde e PARNIT: Decreto cria 22,5 milhões de metros quadrados de áreas protegidas na cidade
DIA HISTÓRICO EM NITERÓI: Foi publicado hoje o Decreto 11.744, que instituiu o PARNIT
PARNIT - Niterói cria parques para proteger áreas verdes de problemas como deslizamentos e queimadas
PARNIT - Prefeito Rodrigo Neves assina na quarta feira o decreto de criação do Programa Niterói + Verde

CISP
SEGURANÇA PÚBLICA EM NITERÓI - Câmeras vão identificar bandidos e acionar PM
Câmeras de monitoramento do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) começam a ser instaladas este mês
Câmeras de monitoramento do Cisp começam a ser instaladas em março
Sistema de monitoramento de Niterói contará com 450 câmeras e 80 botões de pânico
Vistoria nas obras do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp)

DEFESA CIVIL EM NITERÓI
Sistema de alerta de sirenes começa a funcionar em Niterói
Defesa Civil de Niterói: trabalho em várias frentes para fazer de Niterói uma cidade mais segura
DEFESA CIVIL: Prefeitura define procedimentos para atuar em emergências de deslizamentos de encostas e alagamentos

NITERÓI SEM QUEIMADAS
Mario Mantovani, da SOS Mata Atlântica, visita Niterói para conhecer ações de conservação sendo desenvolvidas na cidade
Início da série de ações de prevenção às queimadas
PREFEITURA DE NITERÓI VAI ÀS COMUNIDADES COM MAIOR INCIDÊNCIA DE INCÊNDIOS EM VEGETAÇÃO PARA PREVENIR E CONSCIENTIZAR CONTRA RISCOS DO FOGO
Queimadas: mitos e verdades



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.