domingo, 26 de abril de 2015

VITAL BRAZIL: 150 ANOS - Atividades comemoram o aniversário do cientista, pioneiro na descoberta da especificidade dos soros antiofídicos


O cientista Vital Brazil, em 1912.

Foi dada a largada para as comemorações do aniversário do cientista Vital Brazil Mineiro da Campanha que, se tivesse vivo, faria 150 anos em 2015. As atividades serão anunciadas ao longo do ano, mas já começam no dia 28 de abril, data de seu nascimento.

Para festejar, o Instituto Vital Brazil promove, em parceria com a Sociedade Brasileira de Higiene e Saúde Pública, a Rede Vital para o Brasil, o Rotary Niterói, a Prefeitura de Campanha, entre outros, uma missa na Igreja São Francisco de Assis (matriz), às 19h, seguido de um jantar (adesão – R$ 60,00).

No dia seguinte, 29 de abril, haverá uma manhã dedicada a formação do Comitê Nacional – Grupo Executivo que seguirá durante todo o ano na organização das comemorações, seguida de palestra sobre os 150 anos do cientista, no Tower Hotel. A noite reserva grandes emoções com a apresentação do Coral do Vital, recital de piano com Eduardo Monteiro e lançamento do protótipo da estátua do cientista Vital Brazil feito pela escultora Sandra Guinle, que estará presente no evento, no Teatro Municipal de Niterói, 18h30.




Vital Brazil Mineiro da Campanha é mundialmente conhecido pela sua grande descoberta: a especificidade dos soros antiofídicos. O Instituto Vital Brazil segue, desde 1919, com seu lema: a serviço da ciência, da saúde e da vida.

Instituto Vital Brazil - O Instituto Vital Brazil (www.vitalbrazil.rj.gov.br) é uma instituição de ciência e tecnologia do Governo do Estado do Rio de Janeiro ligado à Secretaria de Estado de Saúde. É um dos 21 laboratórios oficiais brasileiros, um dos quatro fornecedores de soros contra o veneno de animais peçonhentos e produtor de medicamentos estratégicos para o Ministério da Saúde. Fica sediado na Rua Maestro José Botelho, 64, Vital Brazil, em Niterói.

Fonte: Instituto Vital Brazil

---------------------------------------------------------------



História do Cientista Vital Brazil

Vital Brazil Mineiro da Campanha nasceu em 28 de abril de 1865, em Campanha, Minas Gerais, e faleceu em 8 de maio de 1950, na capital carioca. É considerado um dos grandes nomes na história da ciência. Médico e sanitarista, Vital Brazil foi um dos primeiros pesquisadores de toxinologia nas Américas e de medicina experimental no Brasil.

Na virada dos séculos XIX e XX, liderou frentes de combate a diversas epidemias que eclodiram no país, como a febre amarela, cólera, varíola e peste bubônica. As pesquisas assinadas por ele são pioneiras na produção dos soros específicos contra venenos de animais peçonhentos (serpentes, escorpiões e aranhas). Até hoje, salvam milhares de vidas. Tais pesquisas romperam paradigmas e contribuíram à inovação de conceitos e práticas nas ciências médicas e biológicas. Nenhum outro método de neutralização da peçonha é mais eficaz do que o criado por Vital Brazil, em 1894.

Em 1917, quando recebeu a patente do soro antiofídico, decidiu imediatamente doá-la ao governo brasileiro. Preocupava-se principalmente com a Saúde Pública. Dentre os numerosos e determinantes legados deixados por ele, destacam-se a criação do Instituto Butantan (fundado oficialmente em 1901, em São Paulo) e do Instituto Vital Brazil (fundado em 1919, em Niterói). Ambas instituições tornaram-se referenciais de excelência na formação de pesquisadores, na produção de medicamentos e na divulgação e popularização das ciências no país.


Sede do Instituto Vital Brazil, no bairro Vital Brazil, em Niteroi.

O cientista Vital Brazil Mineiro da Campanha é o primeiro filho de José Manuel dos Santos Pereira Junior (1837-1931) e de Mariana Carolina Pereira de Magalhães (1845-1913). Depois dele, vieram mais seis irmãs e um irmão. Vital Brazil viveu num período revolucionário: entre 1865 e 1950, a humanidade por profundas mudanças: invenções, virada do Século XX, Brasil republicano, era Getúlio Vargas, desenvolvimento da ciência, II Guerra Mundial, etc.

O interior mineiro foi pano de fundo da infância de Vital Brazil. O processo de crescimento num lugar distante da Corte e de centros urbanos contribuiu para que Vital Brazil focasse, futuramente, na realidade rural. A formação escolar se deu em um período que ocorreram mudanças significativas nos métodos de ensino vigentes, sobretudo, pela influência do trânsito regular, pelo país, de educadores e missionários protestantes. Estudou na cidade de Caldas sob a orientação de um mestre presbiteriano. Em épocas ainda imperiais e escravistas, os genes e valores mineiros de liberdade certamente colaboraram para moldar no menino Vital muitas de suas características, como uma das mais referenciadas: a autonomia tanto no pensar, quanto no agir.

Em 1880, aos 15 anos de idade, mudou-se com sua família para São Paulo, cidade em que conseguiu alcançar muitos de seus anseios. Após completar os estudos preparatórios, Vital Brazil foi ao Rio de Janeiro, Corte do Império Brasileiro, onde cursou a Faculdade de Medicina, de 1886 a 1891. Logo após sua formatura, em que defendeu a tese “Funções do Baço”, em janeiro de 1892, retornou para São Paulo, onde se casou com sua prima em segundo grau, Maria da Conceição Philipina de Magalhães. Maria da Conceição morreu em março de 1913 e deixou ao viúvo Vital Brazil nove filhos.

Vital Brazil contraiu febre amarela em dois momentos. Na segunda vez, em 1893, estava em missão sanitária no interior de São Paulo, na cidade de Belém do Descalvado. Sua esposa e sua mãe, apreensivas com os constantes riscos que Vital enfrentava nos combates às epidemias, convenceram-no a aceitar o convite para clinicar em Botucatu. Na época, aquela era a mais próspera localidade da região do centro-oeste paulista. Em 1º de julho de 1897, Vital Brazil ingressa no Instituto Bacteriológico, instituição que viu ser fundada em 1892, quando já trabalhava para o Serviço Sanitário de São Paulo. Por pouco mais de dois anos, a partir desta data, integrou a pequena equipe de médicos que atuava sob a orientação de Adolfo Lutz (1855-1940). Após diagnosticar, combater e contrair a peste bubônica na cidade de Santos, entre outubro e novembro de 1899, Vital Brazil retorna ao trabalho no Instituto Bacteriológico. Em dezembro deste mesmo ano, inicia a adaptação de um velho rancho na então distante Fazenda Butantan, situada a 9 km da capital paulista, com a responsabilidade de montar e organizar ali um laboratório que servisse à produção de soro antipestoso. Nesta época, Vital Brazil já possuía estudos avançados sobre o problema do ofidismo e tratamento soroterápico.

Vital Brazil fundou e dirigiu o Instituto Butantan por 20 anos, de 1899 a 1919, e foi convidado pelo Governo do Estado de São Paulo a retornar à direção desta instituição, por mais 4 anos, em 1924. Criou, cofundou e colaborou com diversas revistas científicas, como a Revista Médica de São Paulo, e escreveu dois livros: A Defesa contra o Ophidismo, em 1911, reeditado e ampliado em 1914, somente em francês, e Memória Histórica do Instituto Butantan, em 1941. Publicou dezenas de artigos científicos, em diferentes línguas e periódicos. Por meio de alguns testemunhos e citações de cientistas e eminentes personalidades mundiais pode-se chegar a uma avaliação, mesmo que breve, sobre a contribuição de Vital Brazil para a Ciência e para a Medicina, assim como sobre o papel que desempenhou na História.

Aos 54 anos de idade, em 1919, viúvo há seis anos, Vital Brazil já havia alcançado reconhecimento mundial pelo conjunto da obra acerca da soroterapia específica aplicada aos envenenamentos por animais peçonhentos. Além disso, havia contribuído enormemente a diversos campos ligados à saúde pública do país. Casou-se novamente, em 1920, com Dinah Carneiro Vianna (1895-1975), e desta união nasceram mais nove filhos. Simultaneamente, Vital Brazil já ganhava netos dos filhos do primeiro casamento. Desta forma, constituiu uma grande família. O cientista faleceu de uremia (concentração abusiva de ureia no sangue) no início da manhã do dia 8 de maio de 1950, em sua residência, no Rio de Janeiro.

Fonte: Instituto Vital Brazil


----------------------------------------------------------------------


Curiosidade

Um aspecto inusitado em sua família foi o fato de o seu pai não ter dado o próprio sobrenome aos filhos, substituindo-o por outros com características quase que exclusivamente toponímicas brasileiras. Assim, conforme relata o filho de Vital Brazil, Lael Vital Brazil, no seu livro Vital Brazil Mineiro da Campanha, uma genealogia brasileira (pp 15 e 16), as crianças foram registradas com os seguintes nomes:
  • Vital Brazil Mineiro da Campanha - por ter recebido a vida (Vital) no Brasil, em Minas Gerais, na cidade de Campanha.
  • Maria Gabriela do Vale do Sapucaí, por ter nascido no vale do rio Sapucaí.
  • Iracema Ema do Vale do Sapucaí
  • Judith Parasita de Caldas, por ter nascido em Poços de Caldas.
  • Acacia Sensitiva Indígena de Caldas
  • Oscar Americano de Caldas (pai de Oscar Americano)
  • Fileta Camponesa de Caldas
  • Eunice Peregrina de Caldas
Fonte: Wikipedia
 
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.