domingo, 26 de maio de 2013

Cidade digital: Niterói deve ter 125 pontos de Wi-Fi gratuito



Sinal aberto. Segundo o plano Niterói Digital, o Campo de São Bento terá conexão gratuita até dezembro: a prefeitura firmou parceria para usar anel de fibra óptica da UFF Gustavo Stephan/25-08-2008

Luiz Gustavo Schmitt

Secretaria promete levar sinal de alta velocidade a praças a partir de junho, além de escolas da rede municipal e bibliotecas públicas

A cidade terá 125 pontos nos quais qualquer pessoa poderá acessar gratuitamente uma rede sem fio de internet de alta velocidade, anuncia a Secretaria municipal de Educação, Ciência e Tecnologia. O objetivo é concluir a montagem dessa cobertura até 2016, de acordo co m o plano Niterói Digital, que será lançado no próximo dia 4 no Museu de Arte Contemporânea (MAC). Porém, parte dela poderá começar a ser usada em breve: segundo a prefeitura, a Praça Leoni Ramos, na Cantareira, São Domingos, oferecerá sinal wi-fi aberto aberto a partir de 25 de junho. E a expectativa é que a banda larga pública chegue até dezembro à Praça da Boa Viagem, ao Horto do Fonseca e ao Campo de São Bento e à Praça Getúlio Vargas, em Icaraí. A administração municipal prevê ainda a implantação do sistema em 93 escolas, 7 bibliotecas e 20 telecentros — previstos para serem inaugurados dentro de quatro anos.

De acordo com o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia de Niterói, Waldeck Carneiro, a banda larga que será disponibilizada na maior parte das áreas públicas não terá qualquer custo para o município, já que a Universidade Federal Fluminense (UFF) cederá a conexão de até dez megabites que passa por um anel de fibra óptica de sua propriedade, mantido pela Rede Nacional de Pesquisas. Trata-se de um circuito de 21,7 quilômetros de extensão, que vai do Barreto a Jurujuba, passando por vários bairros, incluindo Centro, Ingá, Icaraí, São Francisco e até Pendotiba. O anel de fibra óptica conecta unidades de ensino e pesquisas, como o Instituto Vital Brazil, em Santa Rosa.

— A universidade é nossa parceira nesse projeto. A prefeitura receberá alguns cabos de fibra óptica e vamos interligá-los à rede da UFF para abrir a internet sem fio à população. Será possível obter o sinal wi-fi em plena rua, por meio de smartphones e tablets, entre outros aparelhos — afirma Waldeck.

O secretário diz que, nas áreas da cidade que ficam fora do perímetro do anel de fibra óptica da UFF, também haverá internet sem fio gratuita: a prefeitura planeja fazer uma licitação para contratar uma fornecedora do sinal de wi-fi. No entanto, ainda não há um prazo para essa iniciativa.

Afirmando que faz coro aos discursos que pregam austeridade nos gastos municipais, o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia prefere não falar em valores do Niterói Digital. Mas ele garante que o plano sairá do papel basicamente com recursos do governo federal.

A reativação de telecentros de informática, criados quando Waldeck era secretário de Educação da gestão de Godofredo Pinto, deverá acontecer com recursos da Agência Nacional de Comunicações (Anatel). A primeira unidade a ser reinaugurada, no dia 11 de julho, terá 20 computadores e funcionará no Parque Palmir Silva, no Barreto, onde está prevista a construção de uma biblioteca municipal.

O Niterói Digital não se limitará à disponibilização de internet gratuita. O plano abrangerá atividades do Núcleo de Produção Digital, no Centro, que oferece oficinas de vídeo, e do Módulo de Ação Comunitária, o Maquinho, no Morro do Palácio, onde haverá aulas de informática.


Fonte: O Globo Niterói

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.