AXEL GRAEL: TRAJETÓRIA PROFISSIONAL E MILITÂNCIA SOCIOAMBIENTAL


Axel Grael. Foto Prêmio Empreendedor Social 2010.
AXEL SCHMIDT GRAEL

INFORMAÇÕES PESSOAIS E FAMILIARES

Nascimento: São Paulo, SP. Em 22-07-1958.
Casado com: Christa Vogel Grael
---
 
Filiação:
Ingrid (mãe) e Dickson Grael (pai)

Pai - Dickson Melges Grael,
Militar (de artilharia, paraquedista) e com formação em educação física. Já falecido, era natural de Dois Córregos (SP), filho de Romão Grael (foi farmacêutico e prefeito da cidade) e Luiza Melges Grael. Dickson era um cidadão combativo e teve papel importante no processo de redemocratização do Brasil. Dickson Grael foi também um pioneiro do paraquedismo militar e esportivo do país. Saiba mais sobre a importância de Dickson Grael em:
Curriculum Vitae, Cidadão e luta democrática, desvendando o caso do Atentado do RioCentro, Dickson Grael denuncia responsáveis pelo assassinato de BaumgartenDickson Grael e as origens do Projeto Grael,
Mãe - Ingrid Schmidt Grael,
Pioneira do esporte no país, praticou vela, natação, esgrima, tênis e saltos ornamentais. Em 1953, aos 15 anos, foi eleita a Rainha dos Jogos da Primavera. Depois, em 1955, foi eleita Miss Icaraí, Miss Niterói, Miss Rio de Janeiro e terminou em segundo lugar no concurso Miss Brasil. Era filha de Preben Tage Axel Schmidt (dinamarquês, velejador e campeão de hipismo, era engenheiro e presidiu no Brasil, por muito tempo, a empresa Christiani-Nielsen, também de origem dinamarquesa) e Helene Schmidt, que também desenvolveu atividades esportivas na Alemanha e no Brasil.
---

Irmãos:
 
Axel (esq) e seus irmãos Lars e Torben Grael

Torben Grael, velejador e um dos maiores atletas da história do país, tendo conquistado 5 medalhas olímpicas na vela (2 ouro, 1 prata e 2 de bronze), além de diversos outros títulos internacionais.
Lars Grael, velejador, duas medalhas olímpicas (ambas de bronze) e ex-Secretário Nacional de Esportes (Governo Federal) e ex-Secretário da Juventude, Esporte e Lazer do Estado de São Paulo.

-----------------------------------------------


RESUMO DA ATUAÇÃO
Axel Schmidt Grael formou-se em engenharia florestal, em 1983, pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRuRJ). Tem carreira diversificada, acumulando experiência no setor privado, governamental, na área social, no movimento ambientalista, além de alguma experiência acadêmica. Suas atividades ocorreram sempre em várias frentes concomitantes e complementares. Na década de 70, ainda aos 17 anos, iniciou a sua militância ambientalista, liderando iniciativas pioneiras em defesa da Baía de Guanabara e a campanha que resultou na criação do Parque Estadual da Serra da Tiririca. Permanece até hoje no terceiro setor, com destaque para a sua atuação no PROJETO GRAEL. Em 1991, foi nomeado para a sua primeira experiência governamental, como presidente do IEF - Instituto Estadual de Florestas. Depois disso, presidiu também a FEEMA – Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente em duas gestões (1999-2000 e 2007-2008) e foi Subsecretário de Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro. É funcionário público de carreira, aprovado em Concurso Público para engenheiro florestal da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro/SMAC (no momento encontra-se em licença sem vencimentos). Como engenheiro florestal, teve a oportunidade de trabalhar em todos os biomas do país, inclusive na Amazônia, onde, dentre outras coisas, desenvolveu estudos etno-botânicos na Área Indígena Nhamundá-Mapuera. Participou de treinamentos profissionais no Brasil e no exterior. Como empresário, é sócio da GRAEL AMBIENTAL Assessoria e Consultoria Ltda. Em 2012, elegeu-se vice-prefeito de Niterói (RJ) pelo Partido Verde, na chapa do candidato a prefeito Rodrigo Neves (PT), sendo eleito para o mandato 2013-2016.
RESUMO DAS QUALIFICAÇÕES:
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: 14 anos de experiência em cargos de primeiro escalão de órgãos da administração pública estadual e municipal do Rio de Janeiro, com experiência na gestão pública, formulação de políticas ambientais e gestão de projetos. Presidiu a FEEMA (1999-2001; 2007-2008), presidiu o IEF (1991-1994) e foi subsecretário de Meio Ambiente do Estado do RJ (2001-2002). É servidor público concursado da SMAC-Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Em 2012, foi eleito o vice-prefeito de Niterói (RJ) pelo Partido Verde, permanecendo até dezembro de 2016. Em janeiro de 2017, assumiu o cargo de secretário executivo, atuando na coordenação geral da Prefeitura.
SETOR EMPRESARIAL/CONSULTORIA AMBIENTAL: 15 anos de experiência em consultoria ambiental, sendo 6 anos em empresas de grande porte e 4 como consultor autônomo. Desenvolveu projetos ambientais e trabalhos de campo em todos os biomas do país, inclusive na Amazônia onde, dentre outras coisas, desenvolveu estudos na Área Indígena Nhamundá-Mapuera-PA. É sócio-gerente da GRAEL AMBIENTAL Assessoria e Consultoria Ltda, na qual presta serviços a empresas, instituições governamentais e para o terceiro setor, atuando em planejamento ambiental, gestão de áreas protegidas (parques, reservas - públicas ou privadas) e coordenando estudos ambientais voltados para a remediação de áreas contaminadas, recuperação de ecossistemas, recuperação de áreas mineradas (PRAD), EIA/RIMA, etc.
TERCEIRO SETOR: Possui atuação reconhecida no movimento ambientalista e social. Iniciou como ambientalista na década de 70, ainda aos 17 anos, fundando e presidindo o MORE - Movimento de Resistência Ecológica, organização pioneira na defesa da Baía de Guanabara. Presidiu várias outras organizações (Movimento Cidadania Ecológica, Instituto Baía de Guanabara) e permanece atuante até hoje no terceiro setor, tendo fundado e presidido o Instituto Rumo Náutico, organização que administra o “PROJETO GRAEL". Em 2010, foi um dos finalistas do PRÊMIO EMPREENDEDOR SOCIAL, promovido pela Folha de São Paulo e pela Fundação Schwab.
ATIVIDADES ACADÊMICAS: Recebeu convite da UFRJ para desenvolver doutorado em Geografia, sendo aprovado em primeiro lugar em processo de seleção (atividade não concluída). Participa como professor ou palestrante em diversos cursos de Pós-Graduação e MBA. Foi terceiro colocado em Concurso Público para professor da UFF- Universidade Federal Fluminense.
PALESTRAS: Possui larga experiência como palestrante sobre temas ambientais e sobre iniciativas de esporte e educação, no Brasil e no exterior.
TREINAMENTO: Participou de eventos e treinamentos no país e no exterior. Dentre eles, foi convidado pela Embaixada dos Estados Unidos para visita técnica aos EUA na condição de “International Visitor”, tendo percorrido vários parques (Yellowstone, Rocky Mountain, Luquillo) instituições públicas e não governamentais, nos EUA e Porto Rico. Integrou a Oil and Gas International Mission da American Chamber of Commerce, em visita aos EUA. É fellow do Programa LEAD – Leadership for the Environment and Development.

  
1- TRAJETÓRIA PESSOAL E EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
A- ATUAÇÃO POLÍTICA E FUNÇÕES ELETIVAS
Axel Grael é filiado ao Partido Verde (PV) desde a década de 1980, tendo se filiado ao partido logo após a sua fundação. Já integrou a Comissão Executiva Estadual e o Diretório Nacional do PV.
 
01 Janeiro de 2017 até o presente - SECRETÁRIO EXECUTIVO da Prefeitura Municipal de Niterói, exercendo a coordenação geral da Prefeitura, além das seguintes atribuições:
 
- Coordenador Geral do EGP-NIT – Escritório de Gestão de Projetos de Niterói, órgão criado pela Lei Municipal 3023, de 22 de março de 2013. De acordo com a Lei, o EGP-Nit é um “órgão técnico de assessoramento do prefeito para a execução de projetos estratégicos”, responsável pela captação de recursos e por elaborar o modelo de gestão de projetos na administração municipal. No âmbito do EGP-Nit, é responsável pelos seguintes projetos: 
  • PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO URBANO E INCLUSÃO SOCIAL DE NITERÓI: Negociação com o BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento para a retomada da negociação em torno do projeto, que havia sido arquivado pelo em 2009. Valor US$ 44 milhões.
  • PROJETO TRANSOCEÂNICA: captação dos recursos junto ao PAC da Mobilidade (R$ 307 milhões) e implantação do projeto de BRT entre o Engenho do Mato e Charitas, incluindo o Túnel Charitas-Cafubá.
- Responsável pelo PROGRAMA REGIÃO OCEÂNICA SUSTENTÁVEL (PRO-SUSTENTÁVEL), com recursos de R$ 100 milhões de dólares, captados junto à CAF - Corporação Andina de Fomento. O projeto inclui a melhoria da infraestrutura e investimentos em sustentabilidade da Região Oceânica de Niterói.

- Responsável pela DEFESA CIVIL DE NITERÓI

- Responsável pelo PLANO NITERÓI DE BICICLETAS

- Responsável pelo PROGRAMA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DOS PRÉDIOS PÚBLICOS

- Responsável pelo PROJETO DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA ENSEADA DE JURUJUBA

- Responsável pelo PROJETO PARNIT – PARQUES DE NITERÓI, juntamente com a SMARHS - Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade

28 Outubro de 2012 - ELEITO VICE-PREFEITO DE NITERÓI PARA A GESTÃO DE 2013-2016.
Elegeu-se Vice-Prefeito em chapa com o candidato a prefeito Rodrigo Neves (PT), com 132.001 votos. Foi diplomado pelo TRE-RJ - Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro em 14 de dezembro de 2012 e tomou posse no cargo em 1 de janeiro de 2013 e concluiu o mandato em 31 de dezembro de 2016.
Além das responsabilidades legais da função, dentre outras, assumiu as seguintes atribuições: 

- Coordenador Geral do EGP-NIT – Escritório de Gestão de Projetos de Niterói, sendo responsável pelos seguintes projetos: 
  • PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO URBANO E INCLUSÃO SOCIAL DE NITERÓI: Negociação com o BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento para a retomada da negociação em torno do projeto, que havia sido arquivado pelo em 2009. Valor US$ 44 milhões.
  • PROJETO TRANSOCEÂNICA: captação dos recursos junto ao PAC da Mobilidade (R$ 307 milhões) e implantação do projeto de BRT entre o Engenho do Mato e Charitas, incluindo o Túnel Charitas-Cafubá.
- Responsável pelo programa NITERÓI NA RIO 2016

- Responsável pela DEFESA CIVIL DE NITERÓI

- Responsável pelo PLANO NITERÓI DE BICICLETAS
 
- Responsável pelo PROJETO DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA ENSEADA DE JURUJUBA

- Responsável pelo PROJETO PARNIT – PARQUES DE NITERÓI, juntamente com a SMARHS - Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade

Rodrigo Neves (PT) e Axel Grael (PV). Foto da campanha eleitoral de 2012.

Axel Grael recebe o diploma de vice-prefeito eleito das mãos dos juízes do TRE Cesar Curi e Alexandre Chini. Foto de Leonardo Simplício.
Axel Grael discursa durante cerimônia de diplomação dos eleitos nas Eleições Municipais de 2012, em Niterói (RJ). Foto de Leonardo Simplício.
Julho/Outubro 2012 - Candidato pelo Partido Verde a vice-prefeito da cidade de Niterói na chapa do candidato Rodrigo Neves (PT). Pela primeira vez, Axel Grael candidata-se a um cargo eletivo. Decidiu fazê-lo pelos seguintes motivos:  
  • Entender a importância do momento que a cidade vive, com o fim do ciclo político que governou a cidade por mais de 20 anos e a frustração da população diante dos problemas gerencias observados na Prefeitura.
  • A confiança na capacidade de liderança do deputado Rodrigo Neves para reunir quadros políticos e técnicos comprometidos com o futuro da cidade e conduzir a reestruturação administrativa da cidade.
  • O compromisso de Rodrigo Neves em adotar as prioridades apresentadas por Axel Grael e pelo Partido Verde para que Niterói avance na agenda da sustentabilidade, alinhando-se à tendência internacional representado por cidades como Copenhague, Amsterdam, Berlim, Melbourne, etc.
Para saber mais sobre o Plano de Governo para Niterói, preparado por Rodrigo Neves e Axel Grael, acesse www.rodrigoneves13.com.br
B- SETOR EMPRESARIAL - CONSULTORIA E PROJETOS
2009 ao presente - GRAEL AMBIENTAL ASSESSORIA E CONSULTORIA LTDA. – sócio administrador, atuando nas seguintes atividades: (a) Assessoramento estratégico para empresas e empreendimentos; (b) Consultoria para planejamento, gestão e licenciamento ambiental; (c) Planejamento para a conservação de áreas naturais; (d) Recuperação de áreas mineradas e outras áreas degradadas; (e) Desenvolvimento e implantação de projetos ambientais; (f) Execução de estudos e levantamentos de campo; (g) Apoio à resolução de conflitos ambientais; (h) Apoio a iniciativas de responsabilidade sócio-ambiental; (i) Apoio à prevenção e à gestão de emergências ambientais; (j) Assessoramento para projetos sociais, ambientais e organizações não governamentais; e (k) Apoio ao desenvolvimento de políticas públicas. A empresa possui sede própria em Niterói-RJ.
Exemplo de atividade da empresa GRAEL AMBIENTAL: implantação do Parque B.Braun e Trilha de Interpretação Ambiental. Na foto, alunos de escola pública participam de plantio de mudas ao longo da trilha. Laboratórios B.Braun, Bairro Arsenal, São Gonçalo (RJ). 
-----------------------------------------
GRAEL AMBIENTAL Assessoria e Consultoria Ltda.
Escritório: Rua Marechal Raul de Albuquerque N 02, sala 507.
Charitas, Niterói-RJ. 24360-025.
Telefone: 21 2610-4651
grael.ambiental@yahoo.com.br
-----------------------------------------
Principais projetos realizados:
Cliente: BVRIO - Bolsa Verde do Rio de Janeiro. Relatório publicado: Sistemas de Cotas Negociáveis e o Controle de Efluentes Industriais na Baía de Guanabara. Rio de Janeiro, maio 2013. Este estudo foi coordenado pela Bolsa Verde do Rio de Janeiro (BVRio) e Funbio, tendo sido realizado em parceria com GRAEL AMBIENTAL, Ecométrika Consultoria Empresarial e Universidade da Califórnia Berkeley.
Cliente: MCC - Mangaba Cultivo de Coco. EIA/RIMA para a implantação de um empreendimento turístico, Fazenda Ponta dos Castelhanos, Ilha de Boipeba, Município de Cairu, Bahia. Projeto em andamento.
Cliente: Laboratórios BBRAUN - Consultoria para a implantação de empreendimento industrial em São Gonçalo, RJ.
Novembro 2009 a Julho 2011 – HAZTEC Tecnologia e Planejamento Ambiental SA. Rio de Janeiro, RJ. Gerente de Estudos Ambientais. Atuou na coordenção técnica de projetos de remediação de áreas contaminadas, EIA/RIMA, projetos de recuperação de áreas mineradas (PRAD), auditorias ambientais, inventário de emissões, planejamento e gestão ambiental na indústria, assessoria ambiental para projetos de dragagem e disposição de sedimentos contaminados, etc.
Principais clientes:
- USIMINAS: Remediação das áreas de contaminação de solo da antiga Ingá Mercantil (Itaguaí-RJ) e licenciamento ambiental para a implantação de terminal para a exportação de minérios no local. Coordenador da equipe multidisciplinar responsável pela elaboração do EIA-Estudo de Impacto Ambiental.
- ODEBRECHT: Consultoria para a disposição de sedimentos contaminados dragados para a implantação de Base de Submarinos para a Marinha do Brasil na Baía de Sepetiba, Ilha da Madeira, Itaguaí-RJ.
- VALE: Educação Ambiental, Projetos de Recuperação de Áreas Degradadas pela Mineração (PRAD) em unidades da empresa no Pará e MG.
- CBO/ESTALEIRO ALIANÇA: Licenciamento ambiental da ampliação da área industrial do estaleiro. Coordenador da equipe multidisciplinar responsável pela elaboração do EIA-Estudo de Impacto Ambiental.
- CEDAE: Auditoria Ambiental do Sistema Zona Sul (Município do Rio de Janeiro).
- METRO LINHA 4 (Barra da Tijuca): estudos ambientais.
- BRAZORE - Terminal de Exportação de Minérios, Mangaratiba, RJ.
- LABORATÓRIOS B.BRAUN. Consultoria para a implantação do Parque BBraun e trilha interpretativa.
- SCS - estudos ambientais para a implantação de APP e Reserva Legal.
Axel Grael (Haztec) foi responsável por diversos estudos ambientais para a recuperação dos passivos ambientais e implantação de um terminal de minério na área da antiga indústria Inga Mercantil, Itaguaí, RJ. Cliente: Usiminas.
2005 até 2006 e 2009 – Consultor da empresa GAIA – Gestão Ambiental da Indústria. Niterói, RJ.
1990 até 1991 – Coordenador de Meio Ambiente do Escritório do Rio de Janeiro da empresa JAAKKO POYRY Engenharia. Atuou principalmente com estudos ambientais para indústrias e oleodutos.
Principal cliente: Petrobrás - EIA/RIMA e outros estudos ambientais para grandes projetos lineares, como os oleodutos OPASC, OSBRA, ORSUB.
1986 até 1990 – Engenheiro florestal e Coordenador de Projetos de recuperação ambiental de áreas mineradas da ENGE-RIO Engenharia e Consultoria S.A. Atuou em projetos em todos os biomas do país, em particular na Amazônia. Rio de Janeiro, RJ. Principais atividades: estudos ambientais em hidrelétricas, recuperação de áreas mineradas (PRAD). Projetos: UHE Cachoeira Porteira, UHE Balbina, UHE Foz do Bezerra, AHE Sapucaia e Simplício, Minas da Samarco, Samitri, Vale, etc.
Meninos Wai-Wai, da aldeia Mapuera, Área Indígena Nhamundá-Mapuera (Pará), exibem a sua habilidade de arqueiro. Axel Grael (Enge-Rio) desenvolveu estudos etnobotânicos. Cliente: Eletronorte. (Foto Axel Grael)
1984 até 1986 – Engenheiro florestal, responsável pelas atividades ambientais da VEROLME Estaleiros Reunidos do Brasil S.A. Angra dos Reis, RJ. Atuou no gerenciamento ambiental, arborização urbana e paisagismo.

C-  TERCEIRO SETOR - ORGANIZAÇÕES SOCIAIS E AMBIENTALISTAS


Instituto Rumo Náutico/Projeto Grael
Av. Carlos Ermelindo Marins, 494. Jurujuba, Niterói-RJ. 24370-195.
Tel: (21) 2711-9875.
http://www.projetograel.org.br/
2003 até 2007 e 2009 até abril 2012 (9 anos) - Fundador e Presidente do INSTITUTO RUMO NÁUTICO / PROJETO GRAEL, organização civil (OSCIP) criada por Axel Grael, pelos velejadores medalhistas olímpicos Torben e Lars Grael, além de Marcelo Ferreira, dedicada a desenvolver projeto de capacitação profissional e socialização de estudantes da rede pública de ensino, na faixa etária de 9-24 anos, através de esportes náuticos. A iniciativa é conhecida como “Projeto Grael”. O projeto já formou mais de 12.000 beneficiados.
Alunos do Projeto Grael aguardam a vez para velejar. Foto de Axel Grael.
Acompanhando delegação de jovens velejadores do Projeto Grael para evento esportivo nos EUA. Foto acervo do Projeto Grael.
As atividades do Projeto Grael são divididas em três alicerces: esportes náuticos, profissionalização para o mercado náutico e educação complementar (educação ambiental, meteorologia, oceanografia, etc.)
Além da sua sede na cidade de Niterói-RJ, o Projeto Grael possui uma unidade em Três Marias-MG, mantida com o patrocínio da empresa CEMIG.
2009 até o presente - Membro do Conselho Diretor do IBG - INSTITUTO BAÍA DE GUANABARA, organização que presidiu entre 1998 até 1999.
1992 até o presente - Colaborador desde 1992 do Sub-Comitê de Meio Ambiente do Comitê Rio de Janeiro-Maryland da organização PARTNERS OF THE AMERICAS/ COMPANHEIROS DAS AMÉRICAS. Em dezembro de 2011, foi eleito Diretor Vice-presidente da ASSOCIAÇÃO COMPANHEIROS DAS AMÉRICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.
 
1998 – 2001: Membro do Conselho de Administração da REBRAF- REDE BRASILEIRA AGROFLORESTAL.
 
1989 - 1991: Fundador e Presidente do MOVIMENTO CIDADANIA ECOLÓGICA- MCE, associação ambientalista sediada em Niterói, que obteve como principais resultados a criação do Parque Estadual da Serra da Tiririca, a proposição e lobby pela aprovação do Capítulo de Meio Ambiente na Lei Orgânica de Niterói e outras campanhas.
1986-1988: Secretário da ASSOCIAÇÃO PROFISSIONAL DOS ENGENHEIROS FLORESTAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO- APEFERJ.
1980 - 1985: Fundador e presidente do MOVIMENTO DE RESISTÊNCIA ECOLÓGICA- MORE (saiba mais aqui), associação ambientalista pioneira sediada em Niterói, responsável por diversas campanhas, particularmente contra a poluição da Baia de Guanabara por despejos das indústrias de pescado.
Foi sócio fundador das seguintes organizações:
- Instituto PRESERVALE - reúne interessados na preservação das fazendas históricas do Vale do Paraíba.
- Sociedade dos Amigos do Jardim Botânico de Niterói.
D- ATUAÇÃO GOVERNAMENTAL
D.1- PREFEITURA MUNICIPAL DE NITERÓI

1 de janeiro de 2013 até 31 de dezembro de 2016: VICE-PREFEITO
Como Vice-Prefeito de Niterói, além de contribuir com a coordenação técnica das iniciativas trans-setoriais, assumiu também a responsabilidade direta sobre os seguintes órgãos e programas:
- COORDENAÇÃO ESPECIAL DE DEFESA CIVIL: a Defesa Civil de Niterói inclui também uma equipe responsável pela avaliação geotécnica da cidade.
- PARTICIPAÇÃO DE NITERÓI NA AGENDA DA RIO 2016: estabelecer gestões junto ao CO-Rio 2016, ao COB e às federações esportivas para que Niterói se integre ao esforço olímpico do Rio de Janeiro e do país.
- CAPTAÇÃO DE RECURSOS E GESTÃO DE PROJETOS: a Vice-Prefeitura fará a interface do Município com as fontes de financiamento de projetos e políticas públicas no governo federal e estadual, além de bancos de fomento (BNDES, CEF etc.) multilaterais (BID, Banco Mundial), etc. Também é atribuição da Vice-Prefeitura estabelecer regras e procedimentos para o desenvolvimento de projetos, o acompanhamento da sua execução e a prestação de contas para as fontes financiadoras.
- PROGRAMA NITERÓI DE BICICLETA: implantação da malha cicloviária de Niterói, bem como o programa de educação cicloviária.
D.2- GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Janeiro 2007 até novembro 2008: Presidente da FEEMA - Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Segunda Gestão).
Presidente da Feema, Axel Grael, interdita a Praia da Barra da Tijuca devido à contaminação por microcistina, toxina liberada por algas tóxicas. Janeiro de 2001. Foto arquivo Feema.
ATUAÇÃO: na segunda gestão como presidente da FEEMA, obteve os seguintes resultados mais expressivos:
  • FORTALECIMENTO DO SISTEMA AMBIENTAL DO RJ: teve a atribuição de planejar e promover a reforma da estrutura ambiental do Estado do Rio de Janeiro e implantar o INEA - Instituto Estadual do Ambiente, criado pela Lei Estadual 5.101/2007. O novo órgão ambiental foi o resultado da fusão da própria FEEMA, com a SERLA e o IEF-RJ. Por iniciativa e responsabilidade da FEEMA, foi realizado um Concurso Público para preenchimento dos quadros do INEA. Este foi o primeiro Concurso Público realizado para o setor ambiental do RJ. No esforço para a moralização da administração pública e respeito à FEEMA, Axel Grael denunciou um esquema de corrupção que resultou na Operação Cartas Marcadas.
  • LICENCIAMENTO AMBIENTAL: Na sua gestão foram concedidas 4.308 Licenças Ambientais, certificados e outros atos autorizativos do SLAP. Dentre as licenças emitidas, algumas foram emblemáticas, como a LP e LI do COMPERJ (o maior licenciamento já concedido no país), Arco Metropolitano do Rio de Janeiro (maior licença de obra viária do RJ), Porto do Açu, Plangás e GNL (Petrobras), etc. No período, 37 pedidos de licença ambiental foram indeferidos. Deu início ao Programa de Descentralização do Licenciamento Ambiental, tendo assinado convênios que permitiram o licenciamento municipal com 21 municípios. Foram assinados TAC's -Termos de Ajustes de Conduta com 60 cerâmicas de Campos de Goitacazes e com 130 pedreiras e serrarias de Santo Antônio de Pádua, de forma a enquadrar estas atividades na legislação ambiental.
  • POLUIÇÃO DO AR: Foi realizado o Inventário de Emissões Atmosféricas Fixas e Móveis da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, envolvendo 500 empresas, como base para a implantação de uma política de controle e de prevenção de emissão de gases, inclusive dos responsáveis pelo efeito estufa. Desenvolvimento e Implementação de Metodologia de Gestão de Qualidade do Ar com base em mecanismo de cooperação de responsabilidade entre as empresas que compartilhamento a mesma bacia aérea – o caso da Associação das Empresas de Campos Elíseos – ASSECAMPE. No controle das emissões de veículos, foi ampliado o Programa de Inspeção Veicular - estabelecendo a obrigatoriedade de aprovação nos testes de emissão, por ocasião das vistorias anuais, para todos os veículos fabricados a partir de 1998, o que corresponde a uma frota de aproximadamente 1,4 milhões de veículos inspecionados. Foi fortalecido o controle de emissões de fumaça preta emitida por veículos de transporte coletivo (3500 ônibus) – PROCON FUMAÇA-PRETA, com base em parceria com a FETRANSPOR e PETROBRAS. Fomento ao programa de utilização de biodiesel 5% (B5), envolvendo veículos das empresas vinculadas à FETRANSPOR, Barcas S.A, Comlurb, dentre outros.
  • PASSIVOS AMBIENTAIS: foram equacionados importantes passivos ambientais, como o da INGÁ Mercantil, que durante a gestão teve a sua área leiloada pela Massa Falida, com uma decisiva participação da FEEMA. Conforme estabelecido no edital, a empresa vencedora do processo, a USIMINAS, assumiu o compromisso e remediação da área. Também foi dado início ao processo de limpeza e remediação do "Canal do Fundão", considerado a área mais degradada da Baía de Guanabara.

Julho 2001 até abril 2002: Subsecretário da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SEMADS (atual SEA)
ATUAÇÃO: implantou o sistema de Compensações Ambientais que favoreceu as unidades de conservação no RJ. Apenas no período, os parques e reservas do estado tiveram recursos alocados da ordem de R$ 50 milhões: um marco na história da conservação dos ecossistemas do RJ.
Janeiro 1999 até Julho 2001: Presidente da FEEMA – Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Primeira Gestão)
ATUAÇÃO: uma das principais marcas da gestão foi a solução de diversos passivos e problemas ambientais históricos. Dentre eles destacam-se:
  • TAC com a CSN - Companhia Siderúrgica Nacional, com investimentos de R$ 180 milhões (então, o maior TAC já assinado por um órgão ambiental) que, dentre outros avanços, resultou na solução dos problemas da contaminação do Rio Paraíba do Sul com o benzo-a-pireno e das emissões de benzeno para a atmosfera.
  • TAC da REDUC - orçado em R$ 240 milhões, um valor superior ao da CSN, o compromisso estabeleceu a obrigação de modernização do parque industrial da REDUC.
  • TAC de Álcalis - o compromisso firmado com a empresa estabeleceu o fim das impactantes dragagens para fins de lavra de calcário que era feitas há muitas décadas na Lagoa de Araruama.
Outros fatos marcantes:
  • GESTÃO DE CONTINGÊNCIAS E ACIDENTES AMBIENTAIS: a gestão foi marcada pela ocorrência de uma sequência de acidentes ambientais de grande porte, como o acidente da REDUC (2000), que resultou no vazamento de óleo para a Baía de Guanabara. Outro evento foi o afundamento da Plataforma P-53 da Petrobras. Nos dois acidentes, a FEEMA teve papel de destaque na condução dos trabalhos de controle da contingência e na recuperação dos ecossistemas afetados. Outro acidente de grande repercussão, ocorrido na primeira semana da gestão, foi o rompimento do emissário submarino de Ipanema. Na ocasião, por iniciativa da equipe de Grael, foi dada ampla transparência ao problema, às suas causas e consequências. Equipes da FEEMA passaram todo o verão de 1999 com plantões nas praias da Zona Sul do Rio de Janeiro esclarecendo aos banhistas quanto aos riscos de exposição ao esgoto, caso entrassem em contato primário com as águas do mar. Foi uma mudança de postura com relação a acidentes anteriores, quando a população não contou com a mesma disponibilidade de informações.
Abril 1991 até Janeiro 1995: Presidente da IEF-RJ Fundação Instituto Estadual de Florestas.  O órgão que foi extinto em 2008, tinha como atribuição administrar o sistema de parques e reservas do Estado do Rio de Janeiro, fiscalizar o desmatamento e a caça, administrar a rede de hortos florestais e reflorestar áreas degradadas do estado.
Pico do Alto do Mourão, Parque Estadual da Serra da Tiririca, criado por proposição e após mobilização liderada pelo Movimento Cidadania Ecológica, fundado por ambientalistas, entre eles Axel Grael. Em 1992, a Lei que criou o Parque foi finalmente aprovada, quando Axel Grael já era presidente do Instituto Estadual de Florestas, órgão que teve como atribuição administrá-lo. Foto de Axel Grael.
ATUAÇÃO: durante a gestão, foram criados o Parque Estadual da Serra da Tiririca (divisa entre Niterói e Maricá, 1992), a Reserva Ecológica da Juatinga (Parati) e a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica no RJ. Em parceria com o senador Darcy Ribeiro, foi implantado o Projeto Floresta da Pedra Branca. Deu início ao Zoneamento Ecológico Econômico do RJ e implantou o SIG-Verde - Sistema de Informação Geográfica do RJ.
D.2- PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO
Degradação da Lagoa da Tijuca, uma das que compõem o Sistema Lagunar de Jacarepaguá. Axel Grael coordenou um amplo projeto para a recuperação deste precioso patrimônio do Rio de Janeiro. Foto site O Globo.
1997-1999: Coordenador Geral do PROJETO DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA MACROBACIA DE JACAREPAGUÁ, (US$ 330 milhões, negociados com o JBIC- JAPAN BANK FOR INTERNATIONAL COOPERATION, Governo Japonês. Hoje está incorporado à JICA).
ATUAÇÃO:
  • O projeto incluiu reflorestamento de encostas, obras de macrodrenagem e controle de enchentes, reassentamento de população em áreas de risco, dragagem e recuperação do sistema lagunar de Jacarepaguá, implantação de unidades de conservação e educação ambiental.
  • Coordenou a ação e consolidou os projetos originados nas secretarias municipais de Meio Ambiente, Habitação, Obras, Urbanismo e da Rio-Águas.
  • Supervisionou o Projeto desde sua concepção até a aprovação do empréstimo no Senado Federal.
Observação: O projeto foi inovador por contar com intervenções de recuperação em toda a bacia hidrográfica, incluindo o reflorestamento de encostas (alto curso dos rios), obras de prevenção de inundações (médio e baixo curso) e dragagem do sistema lagunar. A prioridade das ações foi objeto de negociação pública através do Conselho das Águas de Barra e Jacarepaguá. Infelizmente, após toda a negociação com o órgão financiador japonês, a aprovação pelo Senado Federal para a autorização do empréstimo, a Prefeitura desistiu do empréstimo. 
Veja desdobramentos posteriores deste projeto em: Estado anuncia a Recuperação Ambiental do Complexo Lagunar de Jacarepaguá
Janeiro 1997 - Junho 1998: Coordenador da COORDENAÇÃO DE PLANEJAMENTO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL da SMAC- SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO.
ATUAÇÃO: atuou na gestão de unidades de conservação municipais, implantou o programa de educação cicloviária e criou o Programa Municipal de Espécies Ameaçadas do Rio de Janeiro, resultando na publicação da Lista Oficial das Espécies Ameaçadas da Cidade do Rio de Janeiro.
Agosto 1995 - Janeiro 1997: Diretor Executivo da FUNDAÇÃO PARQUES E JARDINS- FPJ.
ATUAÇÃO: foi responsável pela implantação de uma Política de Arborização Pública para a Cidade do Rio de Janeiro, que incluiu a consolidação do sistema de plantio de árvores associado ao "habite-se" e criou critérios para o sistema de compensação por supressão de árvores públicas.
Fevereiro - Agosto 1995: Secretário Executivo do FUNDO DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL, vinculado à SMAC, tendo sido responsável pela sua implantação.
1995 - 1996: Membro do Conselho Curador da RIO-ZOO - FUNDAÇÃO JARDIM ZOOLÓGICO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO.
D.3- ATIVIDADES NO ÂMBITO NACIONAL
1991 - 1994 / 1999 – 2002 / 2007 - 2008: CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE- CONAMA, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Amazônia Legal- MMA. Conselheiro representante do Governo do Estado do Rio de Janeiro.
1992 – 1994 / 1999 – 2002 / 2007 - 2008: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES GOVERNAMENTAIS ESTADUAIS DE MEIO AMBIENTE- ABEMA, órgão associativo que congrega as secretarias estaduais de meio ambiente e os demais órgãos ambientais dos estados. Exerceu as seguintes funções: Vice-presidente para a Região Sudeste (1992- 1994); Secretário Executivo (1999- ago. 2001); Primeiro Secretário (agosto 2001 a 2002).
E- GESTÃO DE PROJETOS - ORGANIZAÇÕES MULTILATERAIS E INTERNACIONAIS
2004: CRITICAL ECOSYSTEMS PARTNERSHIP FUND: Participou, a convite das organizações Conservation International e da Associação Mico Leão Dourado, da análise e seleção dos projetos a serem financiados pelo CEPF, conforme Edital AMLD – Programa de Fortalecimento Institucional – Corredor da Serra do Mar.
2001 - 2002: CONSELHO GESTOR DO PNMA II, representante dos órgãos estaduais (ABEMA), responsável pela aprovação de projetos a serem financiados pelos Programas do PNMA II. Banco Mundial/Ministério do Meio Ambiente- MMA.
1991 - 1994: CONSÓRCIO MATA ATLÂNTICA, iniciativa que congregou todos os estados da região do Bioma Mata Atlântica e resultou na formulação da proposição da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica à homologação do Programa Man and the Biosphere- MaB da UNESCO. Assessorou a presidência do Consórcio, representou o Estado do Rio de Janeiro no Conselho da entidade e integrou a sua Assessoria Técnica.
1997- 1999: Coordenador Geral do PROJETO DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA MACROBACIA DE JACAREPAGUÁ (projeto já citado acima).
2001 - 2002: CONSELHO GESTOR DO PNMA II (recursos oriundos do Banco Mundial), representante dos órgãos estaduais (ABEMA), responsável pela aprovação de projetos a serem financiados pelos Programas do PNMA II. Ministério do Meio Ambiente- MMA.
1991 - 1994: CONSÓRCIO MATA ATLÂNTICA, iniciativa que congregou todos os estados da região do Bioma Mata Atlântica e resultou na formulação da proposição da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica à homologação do Programa Man and the Biosphere- MaB da UNESCO. Assessorou a presidência do Consórcio, representou o Estado do Rio de Janeiro no Conselho da entidade e integrou a sua Assessoria Técnica.

F- ATUAÇÃO COMO PALESTRANTE E MÍDIA
AXEL GRAEL profere palestras sobre sustentabilidade, políticas públicas em meio ambiente, empreendedorismo social, militância socioambiental, gestão de ONGs, turismo náutico e náutica educativa. Também tem participado de eventos importantes de mídia, como programas de TV, entrevistas para a mídia escrita, rádios, etc.
Algumas destas atividades:
Participou como entrevistador do programa RODA VIVA (TV Cultura, 06/02/2012), que teve como convidado o presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli. Veja mais no Blog do Axel Grael.
Palestrante no Seminário "Cidade Olímpica e Sustentável", organizado pelo Jornal O Globo, Rio de Janeiro, 08 de agosto de 2011. Participaram do evento o prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes; o sub-prefeito e secretário municipal de Meio Ambiente, Carlos Alberto Muniz; o secretário estaduam do Ambiente, Carlos Minc e o economista Sérgio Besserman Vianna.
Palestra para a FECOMÉRCIO-RN, em Natal, sobre Turismo Náutico. 20 de setembro de 2011.
14 de setembro de 2012: proferiu a palestra "ÉTICA PROFISSIONAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL", para a disciplina "Exercício Profissional e Cidadania" (professor James Hall), do Departamento de Engenharia Agrícola e Ambiental da UFF-Universidade Federal Fluminense. Niterói, RJ.
Janeiro de 2008: Palestrante (Key Speaker) do National Sailing Programs Symposium, organizado pela US Sailing (Federação de Vela dos EUA), em St Petersburg, Florida. Proferiu duas palestras sobre a experiência do Projeto Grael e a iniciativa de implantação da Rede Náutica Educativa.
31 de outubro de 2005: Palestrante convidado da Conferência Anual da Federação Internacional de Vela (ISAF – International Sailing Federation), Singapura. Sua apresentação foi sobre a experiência do Projeto Grael no desenvolvimento de programa educacional a partir da vela. O Projeto Grael foi considerado um modelo para os demais países.
1994: Conferencista do Encuentro de Científicos y Teólogos: Sobrevivência Humana y Crisis Ambiental en América Latina y el Caribe. Bri-Bri, Talamanca, Costa Rica. Este evento foi organizado pelo Conselho Latino-americano de Igrejas- CLAI para debater um Plano de Ação em Meio Ambiente na América Latina para as Igrejas.
1992: United States/ United Nations Conference on Satellite Remote Sensing for Resource Management, Environmental Assessment and Global Change Studies: Needs and Applications of Developing Countries. Boulder, Colorado, EUA. Moderador do Painel sobre América Latina e Caribe.
2- PARTICIPAÇÃO EM REDES, PARCERIAS E ALIANÇAS
Caravana do Esporte, Salvaterra, Ilha do Marajó, Pará. Dando aula de vela e canoagem para estudantes locais. Foto Axel Grael.
Atuando na Caravana do Esporte em Itaobim-MG, Vale do Jequitinhonha.
- REDE FOLHA DE EMPREENDEDORES SOCIAIS - Axel Grael foi um dos 6 finalistas do Prêmio Empreendedor Social 2010
- PARTNERS OF THE AMERICAS / COMPANHEIROS DAS AMÉRICAS - Comitê Rio de Janeiro- Maryland. Vinculação: voluntário e membro da direção do Comitê.
- LEAD - Leadership for Environment and Development - Vinculação: Fellow do programa.
- ABDL - Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Lideranças - Vinculação: Fellow
- REMS - Rede Esporte pela Mudança Social - Vinculação: através do Projeto Grael
- Caravana do Esporte - Vinculação: o Projeto Grael foi um dos idealizadores da iniciativa que tem o apoio do Canal ESPN, Instituto Esporte e Educação, UNICEF.
- Atletas pela Cidadania - Vinculação: através do Projeto Grael/Lars Grael.
Encontro da REMS - Rede Esporte pela Mudança Social, realizado na sede do Projeto Grael, maio de 2008.
3- PRINCIPAIS PUBLICAÇÕES

GRAEL, Axel Schmidt (2015): “RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL: buscando uma luz no fim do tubo”, PENSAR VERDE, Revista de Debates da Fundação Verde Herbert Daniel, Abr/Mai/Jun 2015, Número 13, Ano 3. Pág. 22-27.

GRAEL, Axel Schmidt (2015): PROGRAMA GUANABARA VIVA: Avaliação dos programas de prevenção (ecobarreiras) e retirada do lixo flutuante (ecobarcos) na Baía de Guanabara, visando os Jogos Olímpicos Rio 2016 e proposição do Programa Guanabara Viva, um novo plano de ação com ênfase no legado olímpico. (Relatório). Instituto Rumo Náutico (Projeto Grael) e Instituto Baía de Guanabara (IBG). Niterói, 113 páginas.

BVRio e FUNBIO: Sistemas de Cotas Negociáveis e o Controle de Efluentes Industriais na Baía de Guanabara. Rio de Janeiro, 2013. Este estudo foi coordenado pela Bolsa Verde do Rio de Janeiro (BVRio) e Funbio, em parceria com Grael Ambiental, Ecométrika Consultoria Empresarial e Universidade da Califórnia Berkeley.
Grael, Axel S.: Pan 2007 e Meio Ambiente: a responsabilidade do Rio de Janeiro. Revista Velejar e Meio Ambiente. Ano 2 Número 17. 2004.
Grael, Axel S.: Raízes da maritimidade no Brasil- uma visão histórica e ambiental. In “Zona de Contato: o mar, o continente e o homem”. Pág. 32-89. Editora Ouro sobre Azul. 2003.
Grael, Axel S.: Propostas para uma Política para os Ecossistemas e Biodiversidade do Estado do Rio de Janeiro: Agenda Verde. Position Paper preparado por solicitação do OPA- Observatório de Políticas Públicas; ISER- Instituto de Estudos da Religião. O texto foi disponibilizado no site www.opa.org.br.
Axel Grael: o engenheiro florestal fala de sua luta pela preservação do meio ambiente”, Revista Velejar e Meio Ambiente, Ano 0, N.º 3, março 2002. Pág. 24-29. Entrevista concedida a Antonio Luiz de Souza Mello.
Grael, A S.: A situação do meio ambiente no Estado do Rio de Janeiro. Transcrição de palestra proferida no Seminário “Caminhos para um Desenvolvimento Sustentável”. Associação Cultural da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Pág 101-111.
Grael, A. S.: Alternativas para a produção de energia. Artigo publicado na Brazilian Business- Revista da Câmara de Comércio Americana- Rio de Janeiro. Ano XVI, Nº 163, Maio de 2001.
Grael, A. S.: Um Pacto Pela Mata Atlântica. Artigo Publicado no Caderno Opinião do Jornal do Brasil, dia 24/12/98.
Grael, A. S.: Hora de reconstruir. Artigo publicado no Jornal O Dia, 16-06-00. Enfoca a história e o esforço de recuperação da FEEMA.
Mudar a Cabeça”. Entrevista. Revista Náutica. Nº 122, Outubro de 1988. Pg. 130. Tema: riscos e segurança no mar.
Grael, Lars S. e Grael, Axel S. maio 1998: Os Atletas e as Questões do Meio Ambiente. Apresentado por Lars Grael durante o Seminário Sul-Americano de Esporte e Meio Ambiente. Curitiba- Paraná, Brasil.
Grael, A. S. General Coordinator. 1997: Social, Economic, and Environmental Feasibility Study of the Jacarepaguá Basin Environmental Recovery Project. PCRJ- Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. OECF- Overseas Economic Cooperation Fund. 136 p.
Grael, A. S. 1997: Alternativas para a Solução da Crise do Sistema Ambiental do Estado. Revista Eco-Rio. Ano VII. Nº 29. Maio/Junho 97. Rio de Janeiro. Pg. 32-33.
Grael, A. S. 1997: Alternativas para a Solução da Crise do Sistema Ambiental do Estado: viabilização através de uma política de arrecadação própria. Suplemento Técnico: Meio Ambiente. Jornal SEAERJ, Ano VII, Nº 69, Jan. 1997. Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro. 2 p.
Pastuk, M.; Grael, A. S.; Junius, C. F.; May, P. H. & Lima, S. 1995: A Case Study of Urban and Peri-Urban Forestry in the Metropolitan Region of Rio de Janeiro, Brazil. Food and Agriculture Organization- FAO. Forestry Department.
Grael, A. S. 1996: Considerações sobre Propostas de Modificação na Estrutura Ambiental do Governo do Estado do Rio de Janeiro: subsídios para discussão. Elaborado por solicitação da APEFERJ- Associação Profissional dos Engenheiros Florestais do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ. 10 p.
Grael, A. S.; Tavares de Macedo, L. C.; Nunes, A. H. V.; Resende, C. N. & Pontes, J. A. L. 1995: Plano de Conservação e Interpretação Ambiental da Trilha do Alto do Mourão, Parque Estadual da Serra da Tiririca. IV Congresso Brasileiro de Defesa do Meio Ambiente- Anais. Rio de Janeiro, RJ. Pág. 218- 234.
Grael, A. S. 1995: Situação da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro. Transcrição de Palestra in Anais do III Seminário da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Conselho Nacional da RBMA, Consórcio Mata Atlântica, FBCN, IEF/RJ. Rio de Janeiro, 17 a 20 de Novembro de 1993. São Paulo, SP.
Grael, A. S. 1995: Considerações Gerais sobre Situações de Conflitos entre a Iniciativa Pública e Iniciativa Privada em Conservação da Biodiversidade. In Anais do XX Congresso Brasileiro de Zoologia (1994: Rio de Janeiro). Pág. 69-83.
Grael, A. S. 1995: Considerações Gerais sobre Situações de Conflitos entre a Iniciativa Pública e Iniciativa Privada em Conservação da Biodiversidade. Anais/ Workshop Áreas de Conservação de Caráter Privado: modelos alternativos e incentivos (evento realizado durante o XX Congresso Brasileiro de Zoologia. 1994: Rio de Janeiro). Instituto Iguaçu- Pesquisa e Preservação Ambiental. Rio de Janeiro. Anexo II: pág 85-97.
Grael, A. S. 1995: Conflito de Iniciativas Governamentais e Iniciativa Privada: Áreas de Proteção Ambiental- APA, Reservas Legais, Tombamento e Reserva da Biosfera. Transcrição de palestra. Anais/ Workshop Áreas de Conservação de Caráter Privado: modelos alternativos e incentivos (evento realizado durante o XX Congresso Brasileiro de Zoologia. 1994: Rio de Janeiro). Instituto Iguaçu- Pesquisa e Preservação Ambiental. Rio de Janeiro. Pág. 33- 37.
Grael, A. S. 1994: Produção de Alimentos na América Latina: contrastes, oportunidades e considerações ambientais. Encuentro de Científicos y Teólogos: sobrevivência humana y crisis ambiental en America Latina y el Caribe. Consejo Latinoamericano de Iglesias- CLAI. Bribri, Talamanca, Costa Rica.
Grael, A. S. (Org.) 1994: Proposta de Plano de Governo para o Setor Ambiental do Estado do Rio de Janeiro. Partido Verde. Rio de Janeiro. 22p.
Grael, A. S. 1994: Campanha de Prevenção de Incêndios Florestais no Estado do Rio de Janeiro. Fundação Instituto Estadual de Florestas- IEF/RJ. 17p.
Grael, A. S. 1993: Niterói: uma história de lutas ambientais. Revista Niterói; Ano I, N.º 1. Pág 15. Artigo que descreve a história de pioneirismo do movimento ambientalista de Niterói, RJ.
Grael, A. S. 1993: Biodiversidade e Fitoterapia. Revista FEEMA. Rio de Janeiro, Vol. 2, no. 10, maio/junho de 1993.
“Brésil: La Forêt Atlantique, un trésor en peau de chagrin- Plongé en pleine crise politique, le Brésil remet aussi en cause son modèle de developpement. Depuis lê sommet de Rio (juin 1992), la conscience de la valeur de la forêt progresse à grand pas.” Entrevista concedida a Yann Le Houelleur do “Journal de Genève et Gazette de Lausanne”, Suiça, publicado em 22 de outubro 1992, pág. 2.
“L’Arche de Noé de la Mata Atlântica”. Revista “Faim-Developpment Magazine” hors série n.º 8, páginas 15-17. Edição especial intitulada “SOS Planete en Peril”, Outubro de 1992. Paris, França. Publicação do “Comité Catholique Contre la Faim et Pour le Developpement”. Outra entrevista concedida a Yann Le Houelleur.
Grael, A. S.; de Aquino, L.C.S. & Japiassu, A.M.S. 1992: Remote Sensing Applications and Needs in Brazil and the Specific Case of the Sig- Verde Project in the State of Rio de Janeiro. Apresentado durante a United States/United Nations Conference on Satellite Remote Sensing for Resource Management, Environmental Assessment and Global Change Studies: Needs and Applications of Developing Countries, Boulder, Colorado, EUA.
Grael, A. S. 1992: Considerações Preliminares Sobre o Uso Sustentado de Espécies da Flora do Estado do Rio de Janeiro Para Fins Medicinais. Apresentado durante o evento Forest-92, Rio de Janeiro, RJ.
Grael, A. S. 1992: Considerações Preliminares sobre o Uso Sustentado de Espécies da Flora do Estado do Rio de Janeiro para Fins Medicinais. Forest 92, Rio de Janeiro.
Grael, A. S. 1991: Conservação de Recursos Naturais no Estado do Rio de Janeiro. Anais do Fórum: Universidade e Desenvolvimento Sustentável. UFF, Fundação Mudes, Instituto Iguaçu de Pesquisa e Preservação Ambiental. Niterói, RJ.
Grael, A. S. (Coordenador). 1989: “Procedimento para Licenciamento Ambiental e Termo de Referência para Disposição Controlada de Estéril na Mina Alegria”: Samarco Mineração S.A. Enge-Rio Engenharia e Consultoria S.A. Rio de Janeiro. 29 Pág. 4 anexos.
Grael, A. S. (Coordenador). 1989: “Projeto de Recuperação/ Reabilitação de Áreas Degradadas por Atividade Minerária na Mina de Capanema: Minas da Serra Geral S.A.”. Relatório. Enge-Rio Engenharia e Consultoria S.A. Rio de Janeiro. 149 Pg. 4 anexos, 3 mapas.
Grael, A. S. 1983: Baleias. Revista Tela. Ano I, N.º 3, Pág 33. Artigo sobre a ocorrência recente de baleias e a história ambiental da Baía de Guanabara.
Aoki, Hideyo & Grael, A. S. 1982: Medidas Legais Para a Criação de Uma Reserva de Pau- Brasil (Caesalpinia echinata Lam.) no Município de Araruama- RJ. In Anais do Congresso Nacional Sobre Essências Nativas, Campos do Jordão- SP.
César, S. F., Grael, A. S., da Mota, I. S. 1980: Plano de Manejo da Reserva da Cantareira. Projeto: Trilhas de Interpretação da Natureza. Relatório de Estágio. Instituto Florestal de São Paulo. São Paulo, SP.
Arruda, G.P. et allii. 1980: Manual de Reflorestamento Comunitário. Cadernos FEEMA. Série Técnica 14/80. Fundação Estadual de Engenharia de Meio Ambiente. Rio de Janeiro, RJ. 33p.

4- OUTRAS ATIVIDADES
Blog do AXEL GRAEL (http://www.axelgrael.blogspot.com/) - publicado desde 17/08/2011, abordando temas ambientais, sociais, esportivos e políticas públicas.
Assinou a Coluna “RUMO NÁUTICO”, sobre a vela e outros esportes náuticos, meio ambiente e temas socioambientais. Publicada semanalmente, aos sábados, no jornal O Fluminense, Niterói-RJ (www.ofluminense.com.br), de 29/07/2006 a 28/08/2010.
Membro do Conselho Consultivo do Projeto Vencer, iniciativa da organização Companheiros das Américas e financiado pelo BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento. O Projeto Vencer, desenvolvido no Rio de Janeiro, Montevidéu e Quito (denomina-se “A Ganar” nas outras cidades), promove a educação de jovens através do esporte.
Membro do Comitê Editorial de Meio Ambiente da EDITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE- EDUFF. Niterói, RJ. (1994).
Participou, a convite do Consulado dos EUA no Rio de Janeiro, como representante pelo Brasil, do WORLDNET DIALOGUE, uma tele-conferência com o Sr. John Reynolds, Deputy-Director do US NATIONAL PARK SYSTEM AND SERVICE. O evento contou com a participação de interlocutores de diversos países da América Latina para o intercâmbio de experiências. Rio de Janeiro, julho de 1994.
5- EVENTOS E TREINAMENTOS INTERNACIONAIS
Participante da Oil and Gás Environmental Mission, reunindo empresários, autoridades federais e estaduais do RJ e ES. Promovido pela AMCHAM – American Chamber of Commerce, foram visitadas as cidades de Houston, Texas; Washington, DC e Boca Ratton e Miami, na Florida. Foram visitadas instituições públicas responsáveis pelo licenciamento ambiental e empresas do setor de óleo e gás. Outubro/Novembro de 2007
Fellow do Programa LEAD. Participante da 6ª Turma do Programa LEAD- Brasil, Programa de Lideranças em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. LEAD International, Inc. Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Lideranças- ABDL. Universidade de São Paulo- USP. Como parte do Programa participou de Seminários em San José, Costa Rica (1997), Vancouver, Canadá (1998) e concluiu o programa em Guadalajara, México (2002).
Viagem ao estado de Maryland, EUA, para intercâmbio com organizações ambientais e dedicadas a programas esportivos e sociais. A convite do NRPA- NATIONAL RECREATION AND PARK ASSOCIATION e dos PARTNERS OF THE AMERICAS. Agosto 2002.
Seminário para Orientação de Líderes, Partners of the Americas/ Companheiros das Américas. Kansas City- Missouri, EUA. Agosto de 2002.
Seminario Regional sobre Convenios Internacionales y Cooperación para la Protección del Medio Marino. ROCRAM- Rede Operativa de Cooperação Regional de Autoridades Marítimas, IMO- Organização Marítima Internacional. Guayaquil, Equador. Participou a convite da DPC- Diretoria de Portos e Costas, Marinha do Brasil. (2001)
Seminário Métodos e Instrumentos do Manejo Ambiental Urbano- Industrial. Berlim, Alemanha. Participou a convite da Universidade Técnica de Berlim e da Carl Duisberg Gesellschaft e.V.
Encontro do CCP- Cities for Climate Protection, Programa do ICLEI- International Council of Local Environmental Initiatives, evento paralelo ao COP-4- IV Conferência das Partes da Conferência Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. Buenos Aires, Argentina (1998).
Viagem de Estudo aos Estados Unidos da América realizada a convite do THE MARYLAND- NATIONAL CAPITAL PARK AND PLANNING COMMISSION com o objetivo de treinamento e intercâmbio em Gerenciamento de Unidades de Conservação. (1995)
Viagem de Estudo aos Estados Unidos da América. Convidado pelo Sr. Embaixador dos EUA para visita oficial, na categoria de “International Visitor”, sob os auspícios do Programa de Ciência e Tecnologia do USIA- US INFORMATION AGENCY. Visitou Parques Nacionais (Yellowstone, Rocky Mountain, Luquillo National Forest, Everglades e outros), organizações da administração pública, instituições científicas e ONG’s. 07 - 25 de Junho de 1993.
RIO-92/ Conferência das Nações Unidas Sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Participou como observador, indicado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro. (1992).
Programa de Intercâmbio Cultural - Programa YFU-Youth for Understanding. Morou seis meses em Kansas City-Kansas. Estudou no Turner High School. 1975.
6- RECONHECIMENTOS, PRÊMIOS E HOMENAGENS


Recebeu a MEDALHA PEDRO ERNESTO, a mais importante comenda conferida pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro. A iniciativa da homenagem foi do vereador Edson da Creatinina (PV). 5 de junho de 2012.
Homenageado pelo FESTIVAL INTERNACIONAL PEQUENO CINEASTA. O evento realizado no Teatro Glória, de 17 a 20 de novembro de 2010, tem o foco em crianças e jovens, de 8 a 17 anos e reuniu 98 filmes de do Brasil, Reino Unido, Itália, México, Bolívia, Peru, Argentina, Venezuela, Espanha e Grécia. Segundo os organizadores, a homenagem deveu-se “à criação do Projeto Grael, que ao longo de 12 anos vem contribuindo para a educação de crianças e jovens, que podem participar de atividades como natação, vela, cursos profissionalizantes e atividades voltadas para o meio ambiente”.
Finalista do PRÊMIO EMPREENDEDOR SOCIAL 2010, promovido pela Folha de S.Paulo e pela Fundação Schwab, o Prêmio Empreendedor Social busca líderes de ONGs, cooperativas ou empresas sociais e pessoas físicas que desenvolveram iniciativas inovadoras e sustentáveis para benefício da sociedade. Os organizadores analisaram as atividades de 266 empreendedores em 23 estados e no DF, e selecionaram 10 finalistas. Dezembro de 2010. Veja análise dos organizadores do Prêmio sobre o trabalho de Axel Grael e o Projeto Grael.
Patrono do Programa CLIMATE GENERATION no Brasil. O Programa é uma iniciativa internacional do British Council e seleciona jovens lideranças que desenvolvem iniciativas em favor da questão climática. 28 de setembro de 2010.
Patrono da Segunda Turma de Formandos do CURSO SUPERIOR DE TECNÓLOGOS EM GESTÃO AMBIENTAL. UNIGRANRIO. 25 de outubro de 2007.
Patrono da Turma de FORMANDOS DE ENGENHARIA FLORESTAL, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 06 de outubro de 2007.
CERTIFICADO ESPECIAL FOME ZERO, entregue a Axel Grael e extensivo a Torben Grael, Lars Grael e Marcelo Ferreira, idealizadores do Projeto Grael, pelos ministros do Esporte, Orlando Silva; Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Patrus Ananias e do Secretário Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Luiz Fernando Corrêa. Conforme o texto: “Certificamos que, Axel Grael (Projeto Rumo Náutico) participou como parceiro do Legado Social dos XV Jogos Pan-Americanos e dos III Jogos Parapan-Americanos – Rio de Janeiro 2007”. 14 de agosto de 2007
Recebeu o “2006 AWARD OF ACHIEVEMENT” oferecido pela Secretaria de Estado de Maryland, MARYLAND – RIO SISTER STATE COMMITTEE, “For all his humanitarian efforts, extending a culture of sailing to change the lives of children and for his support of the relationship between our great states, Maryland and Rio de Janeiro”. 7 de Novembro de 2006.
MOÇÃO DE CONGRATULAÇÕES 139/05: pela atuação ambientalista, governamental e a frente do Projeto Grael. A iniciativa foi do Vereador Felipe dos Santos Peixoto. 15 de junho de 2005.
BATIMENTO DE QUILHA: Convidado pelas empresas Barcas SA e Rodriquez Cantieri Navali SPA para ser padrinho da CERIMÔNIA DE BATIMENTO DE QUILHA do catamarã MC 25, casco 42. A embarcação presta serviços no transporte de passageiros na Baía de Guanabara.
DEDICATÓRIA: Na edição do Caderno Nº 22: “A Reserva da Biosfera da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro”, de autoria de Denise Rambaldi, Alceo Magnanini, et al. (Maio 2002), da Série Cadernos da Reserva da Biosfera, publicada pelo Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, que lhe solicitou redigir a apresentação da publicação. Além de apresentar um resumo biográfico, foi registrada a seguinte dedicatória: “Dedicado a Axel Grael e equipe do Instituto Estadual de Florestas- RJ, que tornaram possível a criação da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro.”
CITAÇÃO nos agradecimentos da Tese de Mestrado de Milena Scheeffer: "Uma avaliação do controle industrial do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara: o caso das 55 indústrias prioritárias". Planejamento Energético. COPPE/UFRJ, 2001. "Ao Axel Grael, Presidente da FEEMA, pelo apoio no desenvolvimento desta pesquisa e pela gentil torcida".
ELOGIO DE GILBERTO GIL: o cantor, ambientalista e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil registrou na coluna semanal que mantinha no Jornal do Brasil, do Rio de Janeiro (Gilberto Gil, Coluna Onda Azul, JB 2-11-99), o seguinte texto: 
“Vamos ‘fazer a louvação do que tem que ser louvado’: o engenheiro florestal Axel Grael realiza excelente trabalho à frente da FEEMA, suficiente para devolver à instituição a imagem de seriedade e correção maculada por sucessivas administrações venais. Hoje a FEEMA volta a ser respeitada pelos ambientalistas. Mas os velhos esquemas conspiram sem parar.
Para você ter uma idéia do que representa ter um sujeito honesto e competente na FEEMA, basta dizer que Grael já reviu mais de 300 processos irregulares de licenças ambientais concedidas em gestões anteriores, entre elas a que usaria gases tóxicos em área próxima à foz do Guandu, o rio que abastece de água o Rio de Janeiro”.
Gil se referia à negação da licença ambiental a uma empresa que se implantaria no Parque Industrial de Queimados e que pretendia processar o óleo ascarel, um perigoso e já banido produto tóxico e cancerígeno. O processo, com parecer favorável, tinha sido deixado pela gestão anterior com a licença já emitida, pronta para ser assinada.
Paraninfo da Turma de FORMANDOS DE ENGENHARIA FLORESTAL de 1999, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Setembro de 1999.
TÍTULO DE CIDADÃO DE SÃO JOÃO DE MERITI, em seção solene da Câmara de Vereadores em agosto de 1999.
MOÇÃO DE CONGRATULAÇÕES da Câmara de Vereadores da Cidade de Niterói pela: “defesa intransigente e na criação de soluções definitivas para os problemas ambientais, como no incentivo ao esporte, em especial à vela, às políticas públicas centradas no resgate da cidadania e no oferecimento de condições dignas de vida para o conjunto da cidade”. Aprovada em Seção do dia 22 de outubro de 1996.
(Atualizado em janeiro de 2013)