quinta-feira, 9 de maio de 2013

ENSEADA DE JURUJUBA LIMPA - despoluição começa a sair do papel


AÇÕES LOCAIS PODEM DESPOLUIR A BAÍA DE GUANABARA - ENSEADA DE JURUJUBA SERÁ A  PRIMEIRA PARTE DA BAÍA DE GUANABARA A SER DESPOLUÍDA

Hoje foi um dia especial para mim. Com o apoio do prefeito Rodrigo Neves, anunciamos hoje o ENSEADA LIMPA - Programa de Despoluição da Enseada de Jurujuba.

Comecei a minha militância ambientalista no final da Década de 1970, lutando contra a poluição das fábricas de sardinha localizadas em Jurujuba, que naquela época, juntamente com as demais fábricas localizadas na cidade, lançavam uma quantidade de efluentes na Baía de Guanabara que correspondia a toda a carga orgânica dos esgotos de Niterói.

Organizei "Regatas de Protesto" mobilizando os meus amigos velejadores e agregando outras pessoas precupadas com o problema. Aquelas manifestações e protestos foram iniciativas pioneiras no movimento em defesa da Baía de Guanabara. Daquele esforço, surgiu, em 1980, o MORE - Movimento de Resistência Ecológica, organização ambientalista que marcou época em Niterói e formou uma geração de militantes da causa ambiental.

Agora, mais de 30 anos depois, na condição de vice-prefeito de Niterói, apresentei o programa ENSEADA LIMPA, que fará com que aquele sonho possa se realizar. Este foi um dos nossos compromissos de campanha e uma das prioridades da atual gestão.

A despoluição da Enseada de Jurujuba é uma possibilidade real. Diferente do que muitos imaginam, a poluição da Enseada é causada muito mais com os aportes de poluentes produzidos no seu entorno do que trazidos pela Baía de Guanabara de fontes mais afastadas. A afirmação pode ser confirmada no site do Projeto Baía de Guanabara , iniciativa do Projeto Grael em parceria com a empresa Prooceano, com os laboratórios LAMCE (da COPPE) e LAMMA, da Meteorologia da UFRJ, e patrocinado pela empresa BG Brasil. No referido site, você poderá acessar uma modelagem da circulação de águas na Baía de Guanabara e verificar que as corrrentes da baía influenciam a nossa enseada, mas de forma moderada. Ou seja, podemos despoluí-la em grande parte aqui mesmo.

O ENSEADA LIMPA não trata apenas dos sintomas verificados no espelho d'água de Jurujuba, mas reúne um conjunto de ações em toda a Bacia Hidrográfica da Enseada.

"... o esforço de saneamento inclui a implantação de 130 sanitários, além de ligações dos efluentes de cozinhas domiciliares à rede de esgoto. Sim, é verdade! Casas que ainda sequer possuíam banheiros. E essá é a realidade de 2,2% das moradias na cidade!"

Na FASE I do programa, as principais ações são programas de saneamento (impactos positivos sobre a saúde, qualidade de vida e poluição das águas) , contenção de encostas (impactos positivos na segurança geotécnica, prevenção à erosão e assoreamento dos rios e da Enseada) e urbanização (melhoria na pavimentação, drenagem e acesso às comunidades). Vale ressaltar que o esforço de saneamento inclui a implantação de 130 sanitários, além de ligações dos efluentes de cozinhas domiciliares à rede de esgoto. Sim, é verdade! Casas que ainda sequer possuíam banheiros. E essá é a realidade de 2,2% das moradias na cidade! A fonte destes recursos é o PAC (Governo Federal) e o valor do investimento é de R$ 5.370.000. Nas obras de saneamento, 88% dos investimentos foram realizados em 2003. Nas obras de contenção de encostas, 43% foram realizados também agora, de um contrato que fora firmado em 2011.

Outra fonte importante de investimentos é o aporte da concessionária Águas de Niterói que aplicará R$ 2.081.000 em projetos de saneamento na Bacia Hidrográfica, aplicados totalmente em 2013. As principais ações serão n implantação de rede de coleta de esgoto na Grota do Surucucu, em São Francisco e Charitas e a implantação do saneamento na comunidade do Cascarejo, em Jurujuba.

Portanto, o total de investimentos diretos na primeira fase será de R$ 7.451.000.


Floração de algas em praia da Enseada de Jurujuba, causada pelo excesso de nutrientes (poluição) nas águas. Foto de Axel Grael.

Além destas ações, fazem parte das iniciativas de gestão ambiental as ações de desinfestação de roedores, limpeza periódica dos sedimentos no Canal de São Francisco (para permitir uma melhor drenagem e melhor funcionamento do sistema de captação de tempo seco próximo à ponte da Rua Tupinambás) e outras ações.

Para a FASE II do Programa, a Prefeitura de Niterói estuda a implantação de uma ETR - Estação de Tratamento de Rio próximo à foz do canal de São Franscisco, prevenindo a chegada de esgoto e de lixo à Enseada.

Outra prioridade será a idealização de uma nova estratégia de saneamento, agregando às obras de implantação de redes de esgoto um enfoque social que garanta um maior envolvimento da comunidade com o esforço de saneamento. O principal objetivo é permitir um melhor resultado dos investimentos.

A meta é que a qualidade das águas da Enseada de Jurujuba já estejam significativamente melhores, com os índices de balneabilidade próximos aos limites da legislação, em meados de 2014, quando Niterói pretende receber atletas internacionais para o principal evento pré-olímpico do ano no esporte da vela.

A conquista da despoluição da Enseada de Jurujuba fará um enorme diferença para a cidade de Niterói. Mudará a economia, a geografia e o cotidiano da cidade, permitindo que a população usufrua com mais segurança das praias, atrair o turismo, o lazer, atividades recreativas, esportes, etc.

A ENSEADA LIMPA será um marco histórico da luta pela despoluição da Baía de Guanabara, uma vez que Niterói dará uma grande demonstração definitiva que um programa ambicioso de despoluição de um ecossistema como a Baía poderá ser alcançada a partir de iniciativas locais. Vamos avançar na despoluição da Baía de Guanabara num esforço desencadeado enseada por enseada!!!

Axel Grael



-----------------------------------------------------------------------------
Saiba mais em:

Prefeitura de Niterói quer praias livres da poluição
Ação para combater a infestação de ratos em Niterói
Enseada de Jurujuba será despoluída
Niterói - Canal de São Francisco leva toneladas de lixo para a Baía de Guanabara
Equipe do Projeto Grael visita a Grota do Surucucu
Iniciativas do Projeto Grael na prevenção do lixo flutuante da Baía de Guanabara
Ecobarreira será implantada o Canal de São Francisco

------------------------------------------------------------------------------

Prefeito Rodrigo Neves e vice-prefeito Axel Grael lançam programa de despoluição da Enseada de Jurujuba




O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, e o vice-prefeito Axel Grael lançaram nesta quinta-feira (9/5) o programa de despoluição da Enseada de Jurujuba. Chamado de Enseada Limpa, o projeto prevê ações integradas entre a Prefeitura e a concessionária Águas de Niterói.

Estão sendo investidos, somente na primeira etapa do programa, quase R$ 8 milhões, sendo R$ 5,7 milhões da Prefeitura em parceria com os governos federal e estadual, e R$ 2,1 milhões da concessionária.

"Esse projeto de recuperação da Enseada de Jurujuba é muito importante para Niterói, é prioridade da nova administração porque Niterói é uma cidade especial, tem enseadas belíssimas que nunca tiveram a atenção que deveria ter. Desde janeiro, estamos discutindo com a empresa Águas de Niterói essa lógica de parceria e concluímos a elaboração deste projeto. Esse programa terá intervenções em todos os pontos que, de alguma forma, têm contribuído com problemas relacionados à poluição da enseada. Serão implantadas redes coletoras, serão desenvolvidas melhorias relacionadas ao saneamento das comunidades em torno da bacia hidrográfica de Jurujuba, sistemas de bombeamento e tratamento de esgoto. Esses investimentos vão produzir já no final deste ano um resultado muito positivo na Enseada de Jurujuba", afirmou Rodrigo Neves, que destacou a parceria entre a Prefeitura e a iniciativa privada no projeto.

Ações

O vice-prefeito Axel Grael afirmou que algumas das ações já foram iniciadas. Entre elas, a contenção de encostas na comunidade Grota do Surucucu, em São Francisco, com recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) cujo contrato foi firmado em 2006. Essa obra, que prevê intervenções em 19 pontos, está 98% concluída. Somente nos quatro primeiros meses da atual administração, 43% da obra foi realizada, com investimentos de R$ 3,87 milhões.




Na mesma localidade, estão sendo feitos também obras de obras de saneamento, pavimentação, urbanização, construção de 130 banheiros e ligações à rede de esgotos de cozinhas e outros equipamentos intradomiciliares na localidade, que somam cerca de R$ 1,5 milhão.

O vice-prefeito afirmou que há uma ação intersetorial da Prefeitura no projeto com a participação das secretarias do Meio-Ambiente e Conservação e Serviços Públicos (Seconser), Emusa ( Empresa Municipal de Moradia Urbanização e Saneamento) e Clin (Companhia Municipal de Limpeza de Niterói). A Seconser, por exemplo, tem cumprido papel importante na limpeza de rios e do canal da avenida Presidente Roosevelt, em São Francisco.

Segundo Axel, a concessionária Águas de Niterói está realizando ações de saneamento nos bairros de São Francisco, Charitas e Jurujuba, como intervenções nas comunidades do Cascarejo e Peixe Galo (Jurujuba) e a implantação de um sistema na rua Murilo Portugal para separar o esgoto de São Francisco e Charitas.

O vice-prefeito afirmou ainda que será feito um recadastramento de todo o sistema de esgotamento sanitário dos bairros de São Francisco, Charitas e Jurujuba. Citou ainda como outra ação para o projeto de despoluição, o combate à infestação de roedores, que foi iniciado mês passado, na comunidade do Gavião, na região da Garganta, e que será estendido para outros locais. Segundo Axel, a previsão é, até agosto, 95% das ninheiras estejam eliminadas.

"Todas essas ações integradas da Prefeitura e da Águas de Niterói vai melhorar a qualidade deste aporte de água da Enseada de Jurujuba e poderemos tornar a região a primeira parte da Baía de Guanabara despoluída. Niterói poderá dar exemplo e mostrar que as ações podem fazer diferença", afirmou.

"Durante anos houve inércia em relação à Enseada de Jurujuba sob alegação de que a poluição era decorrente da Baía de Guanabara e descobrimos, por meio de um monitoramento das correntes marítimas da Baía, que a influência era muito menos do que se imaginava". Axel Grael.

O vice-prefeito explicou que todo esforço de despoluição não está concentrado somente no espelho d´água mas o que ocorre nas localidades que formam a bacia hidrográfica contribuinte à enseada.

"Durante anos houve inércia em relação à Enseada de Jurujuba sob alegação de que a poluição era decorrente da Baía de Guanabara e descobrimos, por meio de um monitoramento das correntes marítimas da Baía, que a influência era muito menos do que se imaginava", explicou Axel Grael.

Axel afirmou ainda que, com a despoluição, pretende trazer para a cidade no ano que vem a Semana Pré-Olímpica de Vela, um evento preparatório para os Jogos Olímpicos. A competição seria disputada na Enseada de Jurujuba.

O vice-prefeito afirmou ainda estar em planejamento uma segunda etapa do processo de despoluição da Enseada de Jurujuba. Dentre as ações, a criação de uma estação de tratamento de rios (ETR) do canal de São Francisco e controle do lixo flutuante.

Fonte: Prefeitura Municipal de Niterói

----------------------------------------------------------------------------------
Outras matérias sobre o assunto:

O Fluminense: Integração será realizada para despoluir a Enseada de Jurujuba
O Globo: Prefeitura lança programa de despoluição de Jurujuba

Um comentário:

  1. Muito bom saber dessas notícias Axel.

    Acredito que o Projeto Piloto que estamos promovendo na Grota o “ECOmAGENTE” poderá contribuir muito com a integração dessas ações, principalmente na comunicação e transparência com os moradores da comunidade da Grota e quem sabe em outras comunidades. Importante o investimento na comunicação, ações educativas e em parceria com instituições que atuem nas comunidades.

    Uma instituição que não pode faltar nesse programa Enseada Limpa é a CLIN, que em nenhum momento foi citada. Porque não melhor desenvolver ou resgatar a iniciativa de garis comunitários? Eles podem contribuir muito na gestão de resíduos nas comunidades e ainda atuar integrados com os agentes de saúde e zoonoses. A origem principal, não só da proliferação dos roedores, junto a outros vetores de doenças, bem como do lixo flutuante que chega a enseada está na inadequada disposição do lixo. O que ainda é comum nas comunidades de baixa renda.

    Importante incentivar projetos como o arquiteto de família, ao qual atua na comunidade do Vital Brasil, na troca de parte do que seria lixo (material reciclável), por material de construção para ser utilizado, com assistência de arquitetos, em pequenas reformas nas casas, mas que fazem a diferença para o morador.

    Acho excelente a iniciativa do “Enseada Limpa” e uma grande oportunidade para integrar ações de curto, médio e longo prazo.

    Abs,
    Vinícius Palermo

    ResponderExcluir

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.