sábado, 11 de maio de 2013

Requalificação do Centro de Niterói vai a debate na Câmara Municipal




Hoje e no futuro. A Marechal Deodoro reformada (na foto maior) segundo concepção do projeto Water Front. Divulgação/Prefeitura de Niterói

Prefeitura encaminha à Casa nos próximos dias proposta para revitalizar o bairro, sem ônus
  A Câmara dos Vereadores deve receber da prefeitura, nos próximos dias, a proposta de instituição da Operação Urbana Consorciada (OUC) para a implantação do projeto de requalificação do Centro da cidade, o chamado Water Front. A medida é considerada complementar à realização das obras de revitalização da área sem ônus aos cofres municipais, uma iniciativa que será viabilizada por meio de uma parceria público- privada (PPP). Dentro desse acordo, a concessionária vencedora da licitação do serviço — ainda sem data decidida de lançamento — ficará encarregada das intervenções, além de ser responsável, por um período de 20 anos, de prover a localidade de atividades públicas como varrição, coleta de lixo, iluminação e manutenção do mobiliário urbano.

Na última semana, o prefeito Rodrigo Neves criou um grupo técnico formado por profissionais das secretarias de Urbanismo, de Obras e de Desenvolvimento Econômico, que estabelecerá as diretrizes básicas para nortear o planejamento das ações. Segundo a prefeitura, a requalificação do Centro vai conferir ao bairro mais modernidade, sustentabilidade e um padrão compatível com a importância do local para o município. A região, por onde circulam diariamente mais de 500 mil pessoas, receberá uma estação multimodal de transportes para abrigar barcas, ônibus, a Linha 3 do metrô e bicicletas.

— Nossa proposta é conferir mais qualidade de vida ao Centro. Estamos pensando em opções que incentivem o uso do transporte coletivo e de meios alternativos, como a bicicleta. Para isso, serão construídos mais de 20 quilômetros de ciclovias, ligando os campus universitários do bairro. Queremos reduzir o fluxo de veículos e, consequentemente, os longos engarrafamentos — explicou o prefeito.

Pela proposta de reformulação, o entorno do Caminho Niemeyer ganhará urbanização e paisagismo diferenciados, deixando-o mais visível para quem transita pela Avenida Visconde do Rio Branco.

Um dos destaques do estudo é a utilização de fiação subterrânea no bairro, bem como a reforma da Casa Norival de Freitas, na Rua Maestro Felício Toledo. A edificação, tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), está abandonada. As ações de melhorias incluem ainda disciplinar o comércio ambulante, intensificar o acolhimento da população de rua e criar um abrigo para receber esses cidadãos.

Com o projeto, a prefeitura busca, também, proporcionar ao bairro um perfil residencial, uma vez que, hoje, a região é, majoritariamente, comercial. Ao deixar de arcar com os gastos, o Executivo municipal promete investir mais em melhorias para outras localidades da cidade.

Como noticiou o GLOBO-Niterói, o Water Front assemelha-se ao projeto Novo Centro Expandido, apresentado pelo ex-prefeito Jorge Roberto Silveira, antecessor de Rodrigo Neves. A proposta de Jorge Roberto, que se diferenciava por incluir bairros como São Francisco e Piratininga nas intervenções, foi contestada pelo Ministério Público, bem como por vereadores e representantes do Conselho Municipal de Políticas Urbanas, por conta do adensamento urbano em espaços com uso já saturado do solo.


Fonte: O Globo Niterói

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.