quinta-feira, 5 de junho de 2014

BID libera primeira parcela de financiamento e poderá apoiar VLT de Niterói


Intervenções do PRODUIS, projeto financiado pelo BID, incluindo as ações de contrapartida.


Este mês reuniões comunitárias serão realizadas para obras no Fonseca e no Caramujo

DE WASHINGTON - O encontro, a princípio, era apenas para formalizar o primeiro financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) com a Prefeitura de Niterói e, também, para prestar contas de como anda a agenda de etapas a serem cumpridas pela municipalidade para fazer jus ao auxílio da instituição.

Mas na sede do banco, em Washington (EUA), no início da noite de quarta-feira 4/6, o prefeito de Niterói recebeu mais uma boa notícia em reunião com o vice-presidente de Operações em Países do BID, Roberto Vellutini: a instituição poderá apoiar a implementação de um veículo leve sobre trilhos (VLT), em fase de estudos, na cidade.

Ao expor o planejamento municipal de investimentos dos recursos já liberados pelo banco para Niterói nas áreas de mobilidade urbana, infraestrutura e urbanização, o prefeito explicou que uma etapa complementar à implantação da TransOceânica prevê a criação de uma linha do VLT ligando Charitas ao Centro da cidade. O prefeito manifestou interesse em obter apoio do banco e a ideia foi muito bem recebida.

Vellutini explicou que uma das mais recentes políticas de investimentos do BID prevê, justamente, o incentivo a este tipo de transporte por ser menos poluente.

“O VLT está dentro das nossas prioridades de mudança climática. É uma prioridade institucional, pois substitui as emissões do automóvel, gerando menos poluição. Do ponto de vista do BID, é uma área prioritária. Caberá, agora, à equipe técnica de Niterói, que já mostrou sua capacidade, apresentar uma proposta consistente para obter esses recursos”, destacou o vice-presidente do BID.

O chefe do Executivo municipal explicou o motivo da visita e ressaltou a importância de novas parceiras com o BID.

“Vim agradecer a celeridade do banco na aprovação do projeto de Niterói. Esses recursos serão investidos numa das regiões com o menor índice de desenvolvimento humano da cidade, que sofreu muito com a tragédia de 2010 e receberá investimentos expressivos na contenção de encostas, urbanização e equipamentos sociais, além da implantação do Centro de Controle Operacional (CCO) e dos Centros de Tráfego por Área (CTAS) para a melhoria do sistema de tráfego e de trânsito. Essa reunião foi o ponto de partida para a próxima etapa do projeto” disse o prefeito, adiantando que, ainda partir deste mês serão realizadas reuniões com as comunidades de São José e Jerônimo Afonso, ambas no Fonseca, e Caramujo para debater as intervenções que serão realizadas nessas regiões.

Ele revelou que o objetivo é estruturar e concluir, neste segundo semestre, o projeto executivo dessas obras e iniciá-las no primeiro semestre de 2015.

Ainda de acordo com o prefeito, outro objetivo do encontro foi o de buscar novas possibilidades de parcerias com o banco, já com o aval da direção da instituição.

“Novos investimentos em urbanização de favelas e também na mobilidade são nossos objetivos. Nossos estudos integrados para a implantação da TransOceânica com um veículo leve sobre trilhos foram muito bem recebidos pela direção do BID. A acolhida do BID e da direção do banco foi muito positivo”, avaliou o prefeito.

Exemplo de VLT. O modelo acima é que deverá ser implantado no Centro do Rio de Janeiro.

Traçado preliminar previsto para o VLT para a região das Praias da Baía, em Niterói.

Presente à reunião, a coordenadora da Unidade de Gestão do programa do BID, do EGP-NIT - Escritório de Gestão de Projetos de Niterói, Paula Serrano, explicou como se encaixa o projeto do VLT.

“O VLT é uma complementação ao projeto da TransOceânica, que será potencializado com a implantação do CCO e seus dez CTAs, dando mais fluidez ao trânsito.”

Por fim, o prefeito analisou a importância da liberação do financiamento pelo banco:

“O BID é uma das principais agências de financiamento e cooperação no mundo. Os programas são muito exigentes em relação à qualificação técnica das equipes e em relação à capacidade e responsabilidade da gestão fiscal. A obtenção e liberação desses recursos, num prazo tão curto, reforçam a credibilidade da nova gestão da prefeitura que tem uma equipe técnica muito qualificada e que tem trabalhado com planejamento e foco na gestão.”

Dos recursos já aprovados pelo BID, R$ 50 milhões serão utilizados para as intervenções nas comunidades de Fonseca e Caramujo, R$ 15 milhões no CCO e R$ 4 milhões em programas de melhoria da qualidade da gestão pública.


Fonte: Prefeitura de Niterói
 

---------------------------------------------------------------

SAIBA MAIS:

Conheça o escopo do PRODUIS - Projeto de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social de Niterói, desenvolvido pelo EGP-NIT, da Vice-Prefeitura, e financiado pelo BID
Escopo do projeto a ser desenvolvido com recursos do BID.


Saiba mais sobre o PRODUIS:
Vice-prefeito abre Missão de Arranque de projeto financiado pelo BID em Niterói
PREFEITURA ASSINA CONTRATO DE R$ 65 MILHÕES COM O BID PARA INVESTIR NA INFRAESTRUTURA DE NITERÓI
Prefeitura de Niterói assina financiamento do BID nesta sexta-feira
Senado aprova liberação de recursos do BID para Niterói
senado aprova financiamento de r$ 65 milhões do bid para niterói
Prefeitura de Niterói estrutura-se para receber financiamento do BID
Niterói perto de US$ 26 milhões do BID para investimentos na cidade
Blog do AXEL GRAEL: Prefeito de Niterói recebe nova missão do BID



Um comentário:

  1. Faço votos que estes projetos tornem-se realidade em curto espaço de tempo. Penso também que um túnel EXCLUSIVO para o VLT poderia estender sua área de cobertura até Cafubá, Piratininga e Itaipu, desafogando o trânsito de automóveis entre a região Oceânica e Icaraí/Centro, que hoje tem volume superior à capacidade das vias que ligam essas regiões.

    ResponderExcluir

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.