sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Projeto Semente, que leva arte para as comunidades, abre nova temporada a partir de domingo


Oficinas de artesanato, capoeira e dança fazem parte da programação. Foto: Divulgação


Programa foi ampliado e funcionará em dez locais. Inscrições para cursos estão abertas e devem ser realizadas nas associações de moradores de cada comunidade

O projeto Semente, promovido pela Prefeitura de Niterói, através da Secretaria Municipal de Cultura e da FAN, está completando 1 ano e será ampliado, este mês. A próxima etapa do programa contará com 18 oficinas artísticas e será realizada, a partir de domingo, em dez espaços: Caio Martins (capoeira), São Lourenço (artesanato), Boa Vista (percussão e capoeira), Cavalão (artesanato e teatro), Morro do Estado (capoeira e artesanato), Souza Soares (artesanato e teatro), Barreto (audiovisual e percussão), Morro do Céu (percussão e dança), Morro do Aipim/Tenente Jardim (percussão e teatro) e Grota do Surucucu (teatro e audiovisual).

Nesta temporada, o Semente vai oferecer novas oficinas, como de Artesanato Africano, Artesanato Sustentável, Audiovisual, Percussão Africana, Capoeira e Dança. As aulas vão ocorrer uma vez por semana e terão a duração de 2 horas e meia.

Os cursos estão disponíveis para todas as idades e as inscrições devem ser realizadas nas associações de moradores de cada comunidade. No caso do Caio Martins, a inscrição deve ser feita, às terças-feiras, com o professor Bujão, na Sala de Espelho. Informações pelo telefone: 2621-5050 - ramal 232.

Proposta – O projeto Semente propõe desenvolver o processo de iniciação às linguagens artísticas e manifestações culturais em distintos polos regionais do município, através de oficinas. Entendendo a descentralização como uma necessidade para a garantia da democratização cultural, o projeto visa alcançar a população de locais com menor índice de acesso aos bens culturais da cidade, articulando suas demandas e potencialidades com atividades artísticas que podem influenciar na realidade local.

Assim, a proposta sugere o contato inicial com atividades artísticas acreditando no poder criador e transformador da arte, através de ações em diálogo com o desenvolvimento local, acesso à cultura, e desenvolvimento de práticas e manifestações artísticas.

Dados – Com um ano de funcionamento, o programa já contemplou mais de 300 alunos, em diversas comunidades de Niterói. Além disso, a comunidade que teve a maior participação foi a do Morro do Boa Vista, no Fonseca, com uma média de 35 alunos, na oficina de percussão, e 12 na de artesanato.

Fonte: O Fluminense






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.