sábado, 21 de fevereiro de 2015

Estado quer estimular uso da bicicleta e promover integração modal


Diversas atividades e projetos educacionais e estruturais são desenvolvidos pelo programa com seus parceiros. Foto: Arquivo / Douglas Macedo


Programa do Governo do Estado busca também promover a integração da bicicleta com os outros modos de transporte

Bicicletas circulando como meio de transporte nas cidades. Este é o objetivo principal do programa Rio - Estado da Bicicleta, criado e gerido pela Secretaria de Transportes do Estado do Rio de Janeiro. O programa busca também promover a integração da bicicleta com os outros modos de transporte, elaborar projetos e fomentar a implantação de infraestrutura cicloviária, implantar em parceria com órgãos públicos, políticas e campanhas educacionais e promover e apoiar eventos esportivos, culturais e institucionais que incentivem o uso da bicicleta.

Diversas atividades e projetos educacionais e estruturais são desenvolvidos pelo programa com seus parceiros e em diferentes regiões fluminenses.

O Rio - Estado da Bicicleta atua na realização de grandes programas educacionais para estudantes da rede pública e para os mais de 40 mil motoristas de ônibus do estado através dos projetos Pedalando na Escola, Recicleta e Motorista Amigo do Ciclista; além do desenvolvimento de campanhas de estímulo e de respeito ao uso da bicicleta junto à sociedade e em parceria com entidades do setor privado, como a Fetranspor. Na elaboração de material didático/técnico destacam-se as ações desenvolvidas com a sociedade civil organizada (Transporte Ativo e ITDP).

Com órgãos de fomento, como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Banco Mundial, também foram desenvolvidas ações em prol da bicicleta. Um dos destaques foi a elaboração de seis projetos básicos de ciclovias para os municípios do Rio de Janeiro, Niterói, Maricá, Volta Redonda, Barra Mansa e Resende e o Plano Diretor de Transporte Não Motorizado (PDTNM), pioneiro no Brasil. O plano é resultado de amplo estudo e tem o objetivo de definir e elaborar políticas públicas, com o objetivo de aumentar significativamente a utilização destes modos de transporte.

Outras ações que foram desenvolvidas com o Banco Mundial encontram-se em processo de licitação, como a elaboração de um Programa de Gestão para Bicicletas Integradoras ao Sistema Ferroviário, no qual se pretende disponibilizar bicicletas aos usuários do sistema em um contexto de integração modal.

O Rio - Estado da Bicicleta também promove parcerias com instituições internacionais de fomento ao uso da bicicleta, como o World Bike Tour, que depois de passar pelas principais capitais mundiais, estreou no Rio em duas edições e distribuiu mais de quinze mil bicicletas aos participantes do evento, promovendo debates sobre a utilização adequada das magrelas.

O programa da Secretaria de Transportes também é parceiro de grandes eventos de visibilidade nacional e internacional, como a pedalada pelo Dia Mundial Sem Carro desenvolvido em conjunto com a Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecierj), no qual em apenas um evento, mais de 25 mil pessoas já tiraram suas bikes de casa para um passeio pela orla do Rio e Niterói. Com a SuperVia, em dois passeios ciclísticos, foram distribuídas 850 bicicletas aos participantes do evento.

Transporte Público – Em uma parceria de sucesso para facilitar a integração da bicicleta com outros meios de transporte, a Secretaria de Transportes e as empresas responsáveis pelo transporte urbano garantem a entrada gratuita da bicicleta em alguns dias e horários específicos, além de oferecerem bicicletários no entorno e nas estações de trem, metrô e barcas.

A Secretaria de Transportes também desenvolve ações práticas, como instalação de bicicletários em diversas regiões, priorizando áreas que facilitem a integração com modais de transporte de massa: estações de barcas, metrô e trens, além de regiões próximas a equipamentos culturais, como teatros, centros de arte e escolas públicas.

Programação para o embarque gratuito de bicicletas nos transportes públicos

SuperVia

Dias úteis a partir das 21h, sábados a partir das 14h e domingos/feriados o dia todo.

MetrôRio

É liberado o embarque de bicicletas nos dias úteis após às 21h e aos sábados, domingos e feriados, em todas as estações e nos ônibus Metrô na Superfície. O embarque deve ser feito sempre no último carro da composição.

Barcas

Praça XV - Araribóia: Limite de dez (10) bicicletas por viagem. Acima dessa quantidade estará sujeita a avaliação operacional. Os usuários que portarem bicicletas não dobráveis serão os últimos a embarcar e a desembarcar;

Praça XV – Charitas: É permitido apenas o transporte de bicicletas dobráveis;

Paquetá: Limite de dez (10) bicicletas por viagem. Acima dessa quantidade estará sujeita a avaliação operacional. Os usuários que portarem bicicletas não dobráveis serão os últimos a embarcar e a desembarcar. Por motivo de segurança não é possível o transporte de bicicletas não dobráveis nas seguintes embarcações: Pégasus, Express Macaé, Avatares, Falcão, Fênix, Águia, Jumbo e catamarãs do tipo MC;

Praça XV – Cocotá: Limite de dez (10) bicicletas por viagem. Acima dessa quantidade estará sujeita a avaliação operacional. Os usuários que portarem bicicletas não dobráveis serão os últimos a embarcar e a desembarcar. Por motivo de segurança não é possível o transporte de bicicletas não dobráveis nas seguintes embarcações: Pégasus, Express Macaé, Avatares, Falcão, Fênix, Águia, Jumbo e catamarãs do tipo MC;

Ilha Grande – Mangaratiba: Limite de dez (10) bicicletas por viagem. Acima dessa quantidade estará sujeita a avaliação operacional. Os usuários que portarem bicicletas não dobráveis serão os últimos a embarcar e desembarcar;

Ilha Grande – Angra dos Reis: Limite de dez (10) bicicletas por viagem. Acima dessa quantidade estará sujeita a avaliação operacional. Os usuários que portarem bicicletas não dobráveis serão os últimos a embarcar e desembarcar.

Fonte: O Fluminense






4 comentários:

  1. Ônibus transportando 2 bicicletas, essa é a revolução de mobilidade.

    ResponderExcluir
  2. Niterói coloque as bikes para aluguel como tem no rio aquelas do Itaú

    ResponderExcluir
  3. Precisamos de mais bicicletários, não somente próximo as barcas, mas em toda a cidade.

    ResponderExcluir
  4. Precisamos de mais bicicletários, não somente na região das barcas, mas em toda a cidade.

    ResponderExcluir

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.