segunda-feira, 30 de março de 2015

Projeto Grael declina de contrato com Estado para programa de gestão do lixo na Baía de Guanabara




O Conselho Diretor do Projeto Grael/Instituto Rumo Náutico decidiu, por unanimidade, não assinar o contrato com a Secretaria de Estado do Ambiente para o projeto de gestão dos ecobarcos e ecobarreiras na Baía de Guanabara. A decisão ocorreu na manhã desta segunda-feira (30), na sede do Projeto Grael, em Jurujuba/Niterói, com a presença dos irmãos Torben e Lars Grael, além de outros membros do Conselho.

A Diretoria reconheceu a capacidade técnica do Projeto Grael de gerir o programa, mas admitiu a possibilidade de riscos institucionais.

“Embora tenhamos condições para fazer uma gestão eficiente do projeto, desenvolvido pelo Axel (Grael), o Instituto deu sua primeira contribuição com a elaboração do programa de contenção e retirada do lixo flutuante”, acredita Torben, presidente do Projeto Grael.

Lars Grael apontou a relevância da gestão do lixo flutuante, tanto para as Olimpíadas quanto para após os Jogos.

“A ação do Projeto Grael não seria despoluir a Baía de Guanabara, mas uma medida para oferecer uma raia mais justa e igualmente competitiva para os atletas. Não é a nossa principal vocação gerir o projeto de coleta de lixo flutuante, mas nos manteremos à disposição do Estado, em prol de uma Baía mais digna para todos os usuários”, disse Lars.

Axel Grael, que produziu – sem custo – o estudo sobre a gestão do lixo flutuante na Baía de Guanabara e cedido à Secretaria Estadual do Ambiente, disse que o Instituto continuará contribuindo para a luta contra a poluição na Baía.

"Comecei a minha vida de militância ambientalista há 40 anos, lutando pela Baía de Guanabara, e continuarei fazendo. O Projeto Grael tem sido um importante canal de contribuição para isso, e é importante que continue a motivar os seus alunos a se engajarem nessa luta e que contribua sempre com as iniciativas de despoluição. Mas, isso deve ser feito dentro das vocações e das limitações institucionais da nossa organização. A decisão do Conselho Diretor do Instituto Rumo Náutico é prudente e correta”, finalizou Axel.

Saiba mais sobre o Projeto Grael

O Projeto Grael foi criado e desenvolvido pelos irmãos Torben, Lars e Axel Grael e o amigo e velejador Marcelo Ferreira, em 1998. Seu principal objetivo, ao longo desses 18 anos, é usar o esporte como ferramenta de inclusão social. Em 2006, o Projeto Grael – além de oferecer aulas de vela, natação e oficinas profissionalizantes – passou a dar uma ênfase maior à questão ambiental, pela excelência e conhecimento gerado por Axel Grael, tornando-se um dos principais pilares do Instituto.

As aulas – todas gratuitas – do Projeto Grael são destinadas a crianças a partir de 9 anos e jovens de até 29 anos de idade que estudam ou que tenham concluído o Ensino Médio em escolas públicas.

Mais informações

Mariane Thamsten

(21) 98227-6713 / 2711-9875 (Projeto Grael)








Um comentário:

  1. Parabéns família Grael.
    Não duvido, nunca duvidei, da competência do Axel no entanto, infelizmente, no país e momento em que vivemos o risco seria muito grande. Arranhar a imagem de vocês, mesmo que por uma causa tão desafiadora, não compensaria o esforço neste momento.
    Oportunidades não faltarão para que, mais uma vez, a contribuição dos Grael para a vela, para os dois Estados e populações, e para o esporte seja valiosa.
    Abraços,
    Marcos Lobo

    ResponderExcluir

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.