quinta-feira, 9 de abril de 2015

Prefeitura propõe união de esforços com governo estadual e empresas para dragagem de canais da Baía de Guanabara e fortalecimento da indústria naval


Da direita para a esquerda, vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, com os secretários municipais Luiz Paulino Moreira Leite (Indústria Naval) e Fabiano Gonçalves (Desenvolvimento Econômico), com o subsecretário estadual de Energia, Logística e Desenvolvimento Industrial, Marcelo Vertis, e com Paulo Rolim, vice-presidente da Rolls-Royce Brasil. Foto de Luciana Carneiro.

Vice-prefeito destaca que assoreamento prejudica industrial naval da cidade. Projeto elaborado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias prevê dragagem dos canais

O vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, se reuniu na tarde desta quinta-feira (09/04) com representantes do governo estadual e do setor da indústria naval da cidade. O objetivo do encontro era discutir os problemas do assoreamento dos canais, como o de São Lourenço e o entorno da Ilha da Conceição na Baía de Guanabara, que tem prejudicado o acesso das embarcações e, consequentemente, a indústria naval no município.

Axel informou que existe um projeto elaborado pelo INPH (Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias), protocolado no Inea (Instituto Estadual do Ambiente) em outubro, que prevê a dragagem dos canais e a criação de uma malha que vai permitir o acesso das embarcações aos estaleiros.

Ele, ao lado dos secretários municipais de Desenvolvimento Econômico, Fabiano Gonçalves e da Indústria Naval, Petróleo e Gás, Luiz Paulino Moreira Leite, percorreu de lancha, os locais afetados pelo assoreamento e carcaças de embarcações abandonadas.

O vice-prefeito propôs uma união de esforços entre o município, o governo estadual e as empresas para que esse projeto tenha andamento porque falta uma série de complementações e o licenciamento ambiental.

Ele adiantou que vai propôr ao prefeito Rodrigo Neves a criação de um Escritório de Gestão envolvendo todos esses segmentos para que o projeto seja agilizado. Segundo Axel, há uma previsão de R$ 300 milhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) para projetos de dragagem na região.

"A atividade naval é fundamental na economia de Niterói. É uma das maiores geradoras de emprego na cidade. O setor hoje vive dificuldades grandes. Um dos motivos é o problema do acesso. Os canais são assoreados. Com isso, as empresas têm perdido oportunidades em editais de seleção para a construção de navios. A Prefeitura tem um papel importante neste processo, o prefeito estabeleceu como prioridade. É preciso de planejamento. Os canais estão obstruídos por sedimentos e existem muitas carcaças abandonadas que dificultam a navegação e o processo de dragagem. Não é uma obra simples. A licença ambiental precisa ser acompanhada no Inea e temos que ter um esforço concentrado neste assunto. Sem essa união, o desemprego no setor naval poderá ser grande", disse.

O subsecretário estadual de Energia, Logística e Desenvolvimento Industrial, Marcelo Vertis, afirmou que a questão tem que envolver todas as esferas de governo.

"Para a logística de manutenção e reparo dos bancos que serão necessários para o desenvolvimento do pré-sal serão feitas todas aqui, a região da Baía de Guanabara será aproveitada. Por isso, a dragagem destes canais é necessária para dar acesso aos estaleiros. Esses equipamentos de apoio ao pré-sal atrai toda a cadeia de subfornecedores e serviços especializados, alavanca a atividade econômica, emprego e renda. Esse projeto é prioritário para o governo estadual", declarou.

Fonte: Prefeitura de Niterói/ASCOM


-----------------------------------------------------------

VEJA FOTOS DA VISTORIA À REGIÃO PORTUÁRIA E INDÚSTRIA NAVAL DE NITERÓI. Fotos de Axel Grael.


Área próxima à entrada da Ponte Rio-Niterói. Ao fundo, o assoreamento causado pela foz do Canal da Alameda Sâo Boaventura. Foto Axel Grael.

A atividade de reparos navais é uma importante base da economia de Niterói. 

Ponta D´Areia. Berço da indústria naval do Brasil. Foto Axel Grael.

Equipamentos de grande porte. Foto Axel Grael.

"Ponte Azul". A ponte que dá acesso à Ilha do Caju, era elevadiça. Hoje, fixa, impede o acesso de embarcações maiores aos estabelecimentos situados mais no interior do Canal. À direita, Ponte Rio-Niterói. Foto Axel Grael.

GE Oil and Gas: As condições favoráveis de Niterói têm atraído investimentos voltados para a atividade offshore. Foto Axel Grael.

Logística offshore. Foto Axel Grael

Canais assoreados limitam a atividade naval. Foto Axel Grael.

NEGLIGÊNCIA. Ao longo de décadas, muitas sucatas de embarcações foram deixadas irresponsavelmente obstruindo a navegação pelos canais. Foto Axel Grael.

Antiga mansão na Ilha de Santa Cruz, que pertenceu ao empresário Henrique Lage. Foto Axel Grael.

Parque industrial naval de Niterói. Pioneiro no país. Foto Axel Grael.



---------------------------------------------------

LEIA TAMBÉM

SETOR NAVAL COBRA DRAGAGEM DE CANAIS ASSOREADOS NO ENTORNO DA BAÍA








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.