segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Chuva constante provoca deslizamentos em Niterói

Foto André Redlich, O Flu.

Sequência de temporais enxarca o solo e provoca desmoronamentos pela cidade, onde residência desaba em cima de outra na Engenhoca. Clique aqui e assista ao vídeo na TV O FLU

* Assista vídeo na TV OFLU (www.tvoflu.com.br)

Famílias continuam sofrendo com os estragos causados pelas chuvas em Niterói. No início da manhã de segunda-feira, quedas de barreiras resultaram em problemas em diversos bairros da cidade. Entre esses, parte de uma casa que caiu em cima de outra na Engenhoca.

Além disso, por causa de um deslizamento, metade da pista foi interditada na Estrada da Cachoeira, no Largo da Batalha. Na Estrada da Garganta, em Ititioca, um morador está com a casa condenada, após ter a estrutura de sua residência comprometida.

O temporal do último domingo, que atingiu o município, além de registros de chuvas em áreas isoladas, deixou um rastro de destruição em localidades consideradas de risco. Segundo a Subsecretaria de Defesa Civil, Niterói está em estado de atenção desde a última quarta-feira, em decorrência da chuva.

Na Estrada da Cachoeira, a pista sentido Itaipu chegou a ser interditada na altura do número 1091, quando um deslizamento de terra levou grande quantidade de lama e mato para o meio da via. Já na Estrada Francisco da Cruz Nunes, outra queda de barreira assustou moradores da região. A contenção de uma casa, situada em uma encosta, foi prejudicada por causa do volume de lama.

A preocupação também tomou conta do idoso de 96 anos que mora na Estrada da Garganta, na Ititioca. Aposentado, Antônio Freire teme agora por sua vida e dos netos. “Meu vizinho, que mora na casa que caiu, vive sozinho, mas desde ontem eu não o vejo. Acho que ele já não estava em casa quando começou a chover. Foi muita chuva que saiu levando tudo. Estamos com medo que a próxima casa seja a nossa, ainda mais que tenho crianças em casa”, disse.

Desabamento - O caso mais grave aconteceu na Rua Vereador Maurício de Souza, na Engenhoca. Parte de uma casa desabou sobre outra e, de acordo com os moradores, houve momentos de pânico. Testemunhas disseram que a Defesa Civil já havia interditado uma das casas na última sexta-feira.

“A sapata da casa que caiu foi feita de tijolos de cimento. A Defesa Civil já tinha vindo aqui e interditado essa casa, mas não teve jeito. Às 14h de domingo ela veio abaixo e por sorte ninguém estava passando na hora. Todos nós estávamos na casa da minha mãe, que fica nos fundos”, disse a moradora da casa atingida, Marta Regina Armond, 50 anos.

A casa de número 77 fica na parte superior da rua, enquanto a casa atingida (75), fica ao lado, porém em uma parte inferior. Separadas por um muro, cada terreno possui duas casas, sendo fundos e frente. “Todos os quartos foram atingidos, inclusive o quarto da minha bisneta de três anos. Momentos antes eu chamei todos para a minha casa, que fica nos fundos, e aí aconteceu o acidente. Sou paciente do Inca (Instituto Nacional do Câncer) e estou com medo de entrar em casa para pegar o prontuário. Tenho medo de que tudo caia”, disse a idosa de 77 anos, Janete Câmara de Medeiros.

Apesar da interdição, as famílias não sabem quando terão a situação resolvida. Eles estão abrigados na casa de parentes e os pertences ainda não foram retirados da casa.

Planos para o município

O vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, reuniu-se, na manhã de segunda-feora, com secretários municipais para detalhar a contribuição de cada pasta ao Plano de Chuvas de Verão, anunciado na última semana pelo prefeito Rodrigo Neves.

Na ocasião, as principais sugestões apresentadas pelas secretarias foram a criação de um grupo fixo vinculado à vice-prefeitura para acompanhar as ações emergenciais contra as chuvas; a criação de cartilhas explicativas sobre prevenção de tragédias e os impactos das chuvas; a viabilização das maiores escolas municipais de cada região da cidade para auxílio às vítimas; a ajuda de comerciantes com o fornecimento de caminhões e alimentos; além do aumento da capacitação de agentes comunitários integrantes dos Núcleos de Defesa Civil (Nudecs), atualmente, atuantes em 28 localidades de Niterói.
“Sabíamos que janeiro seria um mês de muita chuva e estamos atuando de forma preventiva de forma a se antecipar aos problemas e tentar evitar tragédias. Há expectativa de fortes chuvas para esta semana. Somente no Morro do Palácio, foram interditadas 36 casas onde agentes da Defesa Civil identificaram riscos.” Axel Grael.
Na reunião, Axel Grael lembrou que está sendo feito um grande esforço da Prefeitura no sentido de se antecipar a possíveis problemas provocados pelas chuvas e evitar tragédias como a morte da adolescente Júlia Gonçalves Damaceno, de 13 anos, ocorrida na última quinta-feira, no Morro do Palácio. “Sabíamos que janeiro seria um mês de muita chuva e estamos atuando de forma preventiva de forma a se antecipar aos problemas e tentar evitar tragédias”, disse Axel, acrescentando.

“Há expectativa de fortes chuvas para esta semana. Somente no Morro do Palácio, foram interditadas 36 casas onde agentes da Defesa Civil identificaram riscos”, recordou Grael.

O vice-prefeito voltou a destacar a parceria firmada entre Niterói e o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, que servirá de escola para sete polos regionais a serem articulados em casos de emergência. “Outra sugestão é usar as 33 creches municipais localizadas em áreas de risco para palestras de prevenção e conscientização”, antecipou.

As propostas discutidas no encontro serão reunidas em um decreto, que será levado para a aprovação do prefeito para posterior publicação.

Fonte: O FLUMINENSE

Leia também: Secretários apresentam sugestões para o Plano Chuvas de Verão

Um comentário:

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.