quinta-feira, 7 de agosto de 2014

BH deve chegar a 100 km de ciclovias até o fim do ano


A previsão da BHTrans é que até 2020 os 340 quilômetros de ciclovias previstos no PlanMobBH devem ser implementados na cidade; parte deles, será interligada diretamente ao Move e ao metrô

Atualmente, em alguns trechos, ciclistas tem que dividir espaço com os carros
Foto: Pedro Gontijo


Com passos lentos, Belo Horizonte está caminhando para se tornar uma cidade que investe nos pedais como meio sustentável de transporte. É que até 2016, 200 km de ciclovias devem ser implantados na cidade, a fim de estimular o uso de bicicletas por moradores da cidade e interligar os ciclistas diretamente ao sistema de transporte coletivo, como o metrô e o Move (nome dado ao BRT da capital, sistema rápido de transporte por ônibus). Segundo a BHTrans, até abril deste ano, Belo Horizonte já contava com um total de 70,42 Km de ciclovias e a meta é, até o fim do ano, completar 100 km de ciclovias na cidade.

Ainda de acordo com a BHTrans, a ideia é implantar cerca de 340 km de rotas cicloviárias estruturantes – o que deve ser finalizado só em 2020 –, das quais 150 km serão interligados diretamente ao metrô e ao Move, iniciativa que leva o nome de PlanMobBH. Além disso, as ciclovias terão como complemento a implantação de estacionamentos para bicicletas e bicicletários nas estações de integração. Os próprios ônibus do Move já contam com áreas específicas para acomodação de bicicletas. Este embarque é permitido aos sábados, a partir de 15h, aos domingos e feriados, nos ônibus que passam pelas avenidas Antônio Carlos, Pedro I e Cristiano Machado.

Por região

As ciclovias estão sendo planejadas por região. Os cerca de 150 km para integração ao sistema de transporte público da cidade serão divididos em 23,53 Km para a regional Norte, 19,19 Km para a regional Oeste, 24,67 Km para o Barreiro, 15,34 Km para a região Noroeste da cidade, 22,78 Km para Venda Nova, 18,04 Km para a regional Nordeste e 15,92 Km para a região da Pampulha.

Ao todo, já foram elaborados os projetos executivos de 68,73 Km da rede cicloviária prevista que, segundo a BHTrans, estão prontos para serem implantados. Cada quilômetro de ciclovia demanda o investimento aproximado de R$ 150 mil. No entanto, esse custo pode cair, quando a BHTrans aproveita trechos em construção para implementar a ciclovia correspondente.

Ciclovias que já existem

Algumas ciclovias já começaram a ser implantadas em 2011 por meio do programa Pedalar BH, que prevê também a implantação de paraciclos e bicicletários – equipamentos para estacionamento de bicicletas – pelas ruas de Belo Horizonte.

Originalmente publicada em: O Tempo

De Autoria de: JULIANA BAETA


Fonte: Revista Bicicleta


-----------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:


PROGRAMA NITERÓI DE BICICLETA

CICLOVIAS: OS AVANÇOS DO PROGRAMA NITERÓI DE BICICLETA
Prefeitura de Niterói contrata empresa paulista para elaborar plano cicloviário para a cidade
Ciclistas de Niterói reconhecem resultados do programa Niterói de Bicicleta e cobram mais avanços
NITERÓI DE BICICLETA: monitorando o crescimento do uso de bicicletas na cidade
Lançado em Niterói o programa "Motorista Amigo do Ciclista"

 Acesse o programa NITERÓI DE BICICLETA no Facebook: www.facebook.com/NiteroideBicicleta

Acesse todas as mensagens sobre o NITERÓI DE BICICLETA no Blog do Axel Grael


PROJETOS DE MOBILIDADE EM NITERÓI
  • TransOceânica
TCE aprova edital de licitação da TransOceânica
Licença ambiental da TransOceânica é aprovada pela CECA
Acertos finais: Transoceânica a um passo de virar realidade
Prefeitura debate projeto da TransOceânica com moradores da Região Oceânica
INEA aceita o estudo de impacto da TransOceânica
  • VLT
VLT Charitas-Centro: Prefeitura de Niterói avança na agenda da mobilidade sustentável


Outros temas correlatos:

Custo de congestionamentos no RJ e em SP atinge R$ 98 bi
Estudo mostra que cidade do Rio terá um carro para cada dois habitantes até o ano de 2020
Especialistas debatem o problema da mobilidade nas grandes cidades brasileiras. (Vídeo)
Manual “Segurança para Pedestres” é lançado no Brasil
Salvando vidas com transporte sustentável
Por que a Suécia tem tão poucas mortes no trânsito
Enquanto União Europeia reduz mortes no trânsito, Brasil perde mais vidas
Abertura da Semana Nacional Educativa de Trânsito
Urban Density and Sustainability
Desaceleração deve ser tendência nos grandes centros do século 21





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.